Painéis Solares: a economia que agrega valor aos imóveis

Painéis Solares: a economia que agrega valor aos imóveis
Painéis Solares: a economia que agrega valor aos imóveis
5 (100%) 1 vote

Estudo mostra que painéis Solares estão entre os recursos mais procurados por consumidores na hora de escolher um imóvel, um novo hábito que vem revolucionando o mercado imobiliário americano.

Uma nova pesquisa, patrocinada pelo departamento de energia (dos Estados Unidos), mostra que os compradores estão dispostos a pagar mais por residências com painéis solares no telhado – uma descoberta que pode fortalecer a questão de levar em conta o valor de recursos sustentáveis na apreciação de casas.

O estudo, conduzido pelo Laboratório Nacional Lawrence Berkeley, na Califórnia, analisou dados das vendas de quase 23.000 casas em oito estados, de 2002 a 2013. Cerca de 4.000 das casas tinham sistemas solares fotovoltaicos, todos eles próprios (diferente daqueles financiados através de locação por empresas solares).

Os pesquisadores descobriram que compradores estavam dispostos a pagar adicionais US$15.000 por uma casa com um sistema fotovoltaico de tamanho médio (potência de 3.6 KW, quilowatts), quando comparada a uma casa similar sem um sistema. Colocado de outra forma, isso pode ser traduzido em cerca de quatro dólares adicionais por watts de energia solar.

O estudo analisou as vendas de mais propriedades solares do que outras pesquisas anteriores, fazendo desta uma amostra particularmente “robusta”, disse Sandra Adomatis, uma avaliadora em Punta Gorda, Flórida, considerada uma expert em valoração “verde” e uma das autoras do estudo.

“Esse estudo é importante para o público consumidor e para o lado das credoras,” disse Adomatis, “e avaliadores podem dizer: aqui está uma prova de que há algum valor nesse sistema. ”

Adaptando o mercado com a nova realidade dos painéis Solares

Mais proprietários tem instalado esses sistemas na medida em que o preço da tecnologia fotovoltaica vem caindo durante a última década. A partir da metade de 2014, mais de meio milhão de casas tinham sistemas solares, de acordo com o relatório.

Agentes do mercado imobiliário, avaliadores e credores tentam ainda acompanhar a tecnologia, juntamente com outros recursos de economia de energia, em relação ao cálculo de seus efeitos sobre os preços dos imóveis, ou ausência deles, em qualquer mercado.

A Fannie Mae (empresa do mercado de hipoteca dos EUA, oficialmente conhecida como Federal National Mortgage Association) já reconheceu a crescente proliferação da solar. Em dezembro, a instituição, patrocinada pelo governo, emitiu um guia especificando que, se uma casa tem um sistema solar próprio, o avaliador deve analisar o sistema e o mercado para ver se ele agrega valor ao imóvel.

O guia fornece “conteúdo crítico para nos dar certa vantagem” com os credores, disse Gerard O’Connor, um avaliador em Lindenhurst, em Long Island, NY, o qual recebeu treinamento em valoração verde.

Os altos custos elétricos em Long Island fizeram dela um mercado atrativo para a solar. Cerca de 40% de todos os sistemas fotovoltaicos instalados em Nova York estão em Long Island, de acordo com a Autoridade em Pesquisa e Desenvolvimento Energético do estado.

Compradores estão “certamente dispostos a pagar mais” por uma casa com as faturas de energia como prova da economia ligada ao seu sistema solar, disse O’Connor. Mas, ele ressalta, a maioria dos credores ainda não reconheceram essa mudança do mercado.

Despreparo de credores é problema que deve ser superado

Arthur Wilson, um construtor que está edificando 5 novas casas (todas já vendidas) com painéis solares e tecnologia geotérmica, em Middle Island, Long Island, já teve seus próprios problemas com os credores.

Ele disse que uma valorização de U$498.000 pela segunda casa a ser finalizada foi recentemente “abatida” por ser muito alta, de acordo com analistas bancários, os quais ele disse estarem desatualizados na valoração de recursos verdes residenciais.

O credor pediu a O’Connor para olhar a apreciação, e ele disse que acreditada que ela estava correta na estimativa do valor de recursos de economia de energia. “Qualquer novo item ou recurso é sempre um pesadelo na valorização, ” disse O’Connor.

Ele destaca que, com o novo guia da Fannie Mae, avaliadores não podem agregar valor por sistemas solares alugados, os quais estão cada vez mais populares pelo fato de não necessitarem de investimentos iniciais.

O relatório do laboratório Berkeley indica que mais pesquisas são necessárias para analisar os efeitos de sistemas alugados nos valores das casas.

Fonte de Informação:  The New York Times – Texto original (em inglês)

Analista de Marketing
Redator e Tradutor

Recomendamos para Você: