Custos da Solar em Geração Centralizada Caíram 30% no Ano nos EUA

custos-da-solar-caem-30-ao-ano-em-geracao-centralizada-nos-eua
Custos da Solar em Geração Centralizada Caíram 30% no Ano nos EUA
5 (100%) 4 votes

De acordo com relatório divulgado pelo Laboratório Nacional de Energia Renovável, parte integrante do Departamento de Energia dos EUA, os custos da energia solar em projetos de geração centralizada no país, ou seja, nas usinas solares, caíram 30% no ano.

Intitulado US Solar Photovoltaic System Cost Benchmark (Referencial do Custo dos Sistemas Solares Fotovoltaicos dos EUA, em tradução livre), o relatório coletou os dados do primeiro trimestre de 2017, com o preço médio do watt ficando em US$1,03 para usinas com painéis sem sistema de rastreamento e US$ 1,11 para aquelas com o sistema.

A notícia veio apenas dez dias antes da indústria solar dos EUA descobrir se deverá lidar ou não com mudanças nas importações comerciais impostas pela Administração do governo do presidente Trump.

Esse é um novo recorde na depreciação dos custos, mesmo para uma indústria acostumada com as frequentes quedas nos preços, e a causa provável parece ser, principalmente, o colapso dos preços dos módulos fotovoltaicos no mesmo período.

Esta, por sua vez, deve-se principalmente a uma incompatibilidade entre a oferta e a demanda na China, o que causou uma dor para os fabricantes de módulos do país e uma redução significativa nos custos dos módulos exportados.

Não a toa, um pedido de proteção comercial para células e módulos solares fotovoltaicos americanos já foi enviado e está sendo analisado pelo governo dos EUA.

Segundo o estudo do laboratório, essa queda nos custos das usinas traduz em preços nivelados de eletricidade de US$ 50 a US$ 66 o megawatt-hora (MWh) para sistemas de inclinação fixa, e US$ 44 a US$ 61 o MWh para sistemas com rastreamento, excluindo o efeito do Crédito Fiscal de Investimento (ITC) dos EUA.

Tais valores mostram que a energia solar centralizada já atingiu os objetivos de propostos para 2020, estabelecidos pela Iniciativa SunShot do Departamento de Energia dos EUA. Com isso, o novo foco dessa iniciativa deixa de ser a redução de custos para buscar a integração em altos níveis de energia renovável.

Como a maior parte das reduções de custos foi impulsionada pelo colapso nos valores dos módulos, os preços em outros setores não caíram tão rapidamente.

Segundo o relatório, enquanto os preços dos sistemas comerciais e industriais caíram impressionantes 15% ao longo do ano passado, para uma média de US$ 1,85 o watt, os preços dos sistemas residenciais caíram apenas 6%, para US$ 2,80 o watt.

Isso significa preços nivelados de eletricidade de US$ 92 a 120 por MWh para sistemas comerciais e industriais, e US$ 129 a 167 por MWh para sistemas residenciais.

Esse cenário ainda está bem abaixo dos objetivos propostos pela SunShot para a energia solar não subsidiada e, dada a taxa atual de declínios de preços, a energia solar residencial pode não atingir seu objetivo proposto para 2020.

No entanto, quando o efeito do crédito fiscal de investimento é calculado, esses custos caem significativamente, colocando o custo médio do sistema solar residencial abaixo de US$ 100 por MWh.

Analista de Marketing
Redator e Tradutor

Recomendamos para Você: