Como a Energia Solar Gerada em Condomínio Trouxe Economia e Sustentabilidade aos Moradores

Como a Energia Solar Gerada em Condomínio Trouxe Economia e Sustentabilidade aos Moradores
5 (100%) 2 votes

Uma ideia, quando embasada no conhecimento e fincada com a certeza de que trará um resultado positivo, tem o poder de influenciar e , literalmente, mudar a nossa vida e a de outros.

Djalma Teixeira, engenheiro mecânico aposentado e morador na cidade de Laranjeiras, estado do Rio de Janeiro, é uma dessas pessoas e, em julho de 2017, mudou a vida dos moradores do condomínio do qual é síndico já a 4 anos.

Como um dos mais de 70 milhões de consumidores de energia elétrica do Brasil, Djalma tem conhecimento do caminho que esta energia percorre até chegar a nós.

Gerada nas hidrelétricas, a grandes distâncias dos centros urbanos, a energia “viaja” por longas linhas de transmissão até ser consumida nos centros urbanos, sofrendo perdas nesse processo.

Esse modelo centralizado de geração por hidrelétricas, embora tenha funcionado até hoje, vem a cada ano ficando mais ultrapassado e problemático devido aos períodos de estiagem que castigam os níveis dos seus reservatórios.

A escassez da fonte resulta em produções cada vez menores nessas centrais elétricas, levando o governo a adotar medidas para suprir o restante do consumo da população, como acionar centrais termelétricas e até mesmo comprar energia de países vizinhos.

Tudo isso faz com que o preço da energia fique cada vez mais caro ao consumidor, que ainda arca com parte das perdas na transmissão dessa energia.

Porque, então, não gerar a própria energia? Pensava Djalma. Melhor ainda, porque não a gerar de forma limpa e sustentável através da fonte mais abundante em nosso país, que é a luz do sol?

Afinal, como pai e avô de cinco netos, o síndico busca aplicar práticas sustentáveis não só no edifício onde mora, mas também em todos os outros aspectos do seu dia a dia.

Educação e Conscientização

Foi então que, já conhecendo a tecnologia fotovoltaica, Djalma teve a ideia de instalar um sistema para suprir 100% do consumo elétrico das áreas comuns do prédio e ser compartilhada entre os condôminos.

Essa modalidade de geração em condomínios prediais e residenciais, chamada de geração em empreendimentos com múltiplas unidades consumidoras, foi introduzida pela Aneel em 2015 por meio de sua resolução normativa 687, que criou também outras duas modalidades.

O síndico sabia dessa possibilidade e, por isso mesmo, começou a pesquisar e solicitar orçamentos entre empresas da região, visando obter o melhor e mais vantajoso projeto para apresentar aos condôminos.

Isso porque ele sabia que o maior desafio que iria enfrentar para colocar essa sua ideia em prática seria convencer seus vizinhos sobre a viabilidade do projeto que, assim grande parte dos brasileiros, ainda desconhecem o funcionamento desses sistemas conectados à rede.

Foi então que, após contato com os franqueados da Blue Sol Barra da Tijuca, Marcio e Nilton, Djalma achou o ajuda que precisava e, juntos, apresentaram um projeto aos moradores do edifício.

Não foi fácil, inicialmente houve muita resistência dos moradores, afinal o que estava sendo proposto era usar o dinheiro do fundo de reserva para instalar um sistema que iria gerar energia elétrica, algo que eles já tinham da rede.

Foi então que Djalma soube que teria que mudar a abordagem para fisgar a atenção dos moradores e convencê-los sobre a vantagem do projeto, tocando no ponto que mais chama a atenção do consumidor: seu bolso.

Ao mostrar a comparação do investimento no sistema com o de outras aplicações financeiras, o síndico conseguiu mostrar como o retorno financeiro que eles iriam obter com a economia na conta de luz gerada pelo sistema superaria o de qualquer outro investimento.

Na mosca! Com esse argumento irrefutável, os moradores concordaram com o projeto e Djalma então teve sinal verde para prosseguir com a Blue Sol na instalação do sistema.

Solução Sustentável e Econômica

Cuidadosamente planejado e executado pela equipe da franquia, o sistema fotovoltaico foi instalado e conectado à rede da Light, em julho de 2017.

Com 55 módulos fotovoltaicos instalados na cobertura do prédio e dois inversores interativos, o sistema está gerando até 14.575 quilowatt-pico de energia limpa sob o sol abundante do Rio.

Agora, lá de cima e com a sensação de missão cumprida, Djalma contempla a vastidão de telhados em sua região e sonha com o dia em que os painéis estarão presentes em todos eles, trazendo a eficiência energética que o país precisa, a sustentabilidade que as próximas gerações necessitam e a economia que os consumidores querem.

Assista ao vídeo abaixo e conheça a história inspiradora de Djalma:

Analista de Marketing
Redator e Tradutor