2016 Encerra com Energia Solar mais Barata que a eólica

Energia solar mais barata: Ilustração da diferença entre solar e eólica
O que achou?

Além de já ser mais vantajosa que as fontes tradicionais de energia, como gás e carvão, os valores de novos projetos solares contratados em países emergentes agora tornam a energia solar mais barata que a eólica, e a forma mais barata de gerar eletricidade.

Esse foi mais um excelente ano para as energias renováveis, em especial a solar fotovoltaica. Em setembro o instituto britânico Carbon Tracker já havia concluído que as renováveis se tornaram mais competitivas que as fontes de origem fóssil, quando analisados os custos atuais de implantação.

Entretanto este ano a fonte solar começa a superar a eólica, e os custos de instalação de novos projetos transformam a energia solar mais barata que a última. Isso, contudo, não é um fato recente. O Oriente Médio, por exemplo, já tinha visto alguns dos seus leilões de projetos passados alcançarem recordes em seus valores de contratação.

Agora, no entanto, isso tem se tornado uma tendência e dados recentes divulgados pela Blooomberg New Energy Finance (BNEF) mostram que a energia solar não subsidiada, além de aumentar sua vantagem em relação ao carvão e gás natural, tem apresentado custos inferiores para implantação do que projetos eólicos nos países emergentes.

Apesar de esse ser um fato já esperado por analistas do mercado, visto a contínua queda dos custos da tecnologia fotovoltaica, a revelação veio antes do esperado e causou surpresa.

De acordo com o diretor de análise de políticas dos EUA na BNEF, Ethan Zindler. “O investimento em energia solar passou do nada – literalmente nada -, há cerca de cinco anos, para muito”. “Grande parte dessa situação se deve à China, que está desenvolvendo rapidamente a energia solar” e ajudando outros países a financiarem seus próprios projetos, disse Zindler.

Sol forte em 2016

Com a aplicação cada vez maior da tecnologia fotovoltaica, é natural que seus custos e consequentemente seus valores para implantação de usinas solares continuem a cair. Isso fez com que a energia solar mais barata alcançasse uma sequência de recordes nos leilões de energia pelo mundo, com empresas privadas oferecendo valores de instalação de usinas cada vez menores.

Quando calculado pelo preço por megawatt-hora(MWh), a Índia foi a primeira a alcançar preços inéditos de produção de energia solar, com US$64 por MWh em janeiro. O Chile, por sua vez, bateu novo recorde em agosto, com o valor de US$29,10 por MWh, tornando-se a energia mais barata da história, quase metade da proveniente do carvão.

Porém, não é só nos custos que a energia solar supera a eólica. Além desses projetos já concluídos, existem muitos outros para serem finalizados este ano e, quando contabilizados os números, o total instalado de capacidade da fonte solar deverá ser maior que a da fonte eólica pela primeira vez na história.

Isso é o que aponta o relatório da Bloomberg divulgado no último dia 15, intitulado Climatescope. De acordo com os dados, a agência prevê a instalação de 70GW (gigawatts) de energia solar até o fim deste ano, contra 59GW de energia eólica. O estudo também fez um levantamento dos países emergentes que apostam em projetos sustentáveis para geração de energia, classificando-os segundo seu potencial de atrair investimentos. Desses, os países com maior pontuação foram: China, Chile, Brasil, Uruguai, África do Sul e Índia.

Energia solar mais barata é aposta dos países emergentes

Esse ranking vem em concordância aos valores investidos por esses países em energias renováveis, os quais foram superiores aqueles investidos pelos 35 países ricos membros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).  O relatório aponta que US$ 154,1 bilhões foram investidos pelos países emergentes em 2015, contra US$ 153,7 bilhões desses países mais ricos.

Como as taxas de crescimento de implementação de energia limpa são mais altas nesses mercados emergentes, é provável que eles continuem sendo os líderes de energia limpa por um tempo indefinido, especialmente agora que três quartos deles criaram metas de energia limpa.

Contudo, a tecnologia de armazenamento da energia gerada pelas fontes renováveis, as quais são intermitentes, ainda deve levar um tempo para se tornar viável e os combustíveis fósseis continuam sendo a opção mais barata quando não há vento e o sol não brilha. Portanto eles devem continuar desempenhando um papel na geração de energia para atender o consumo de milhões de pessoas nos próximos anos.

Fonte de Informação: Exame – Fonte      Uol – Fonte

Analista de Marketing
Redator e Tradutor

Recomendamos para Você: