Metas sustentáveis trarão R$125 milhões de investimento em energia Solar no Brasil

22ea9d892c566134000919999b49868e0ba2ea71512fae28b4pimgpsh_fullsize_distr
 

Para alcançar as metas estabelecidas pelo governo federal na aplicação da tecnologia fotovoltaica, o investimento em energia solar no país deverá movimentar cerca de R$125 milhões até 2030, divididos entre projetos de geração centralizada e geração distribuída.

Não resta mais dúvidas de que o Brasil está passando por um momento de transição em sua matriz energética. Com os investimentos cada vez maiores em fontes renováveis de energia, em especial a Solar e eólica, nosso país caminha para um futuro mais sustentável, abandonando o uso de fontes emissoras de gases de efeito estufa ou causadoras de impactos ambientais.

Agora, para alcançar os compromissos assumidos no Acordo de Paris (COP21), um novo levantamento da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) aponta que deverão ser instalados no país 25 GW (gigawatts) a mais de potência em energia fotovoltaica, sendo 17 GW em geração centralizada (o caso das usinas solares) e 8,2 GW em geração distribuída, a qual representa os sistemas instalados nos pontos de consumo.

O estudo, intitulado “O Compromisso do Brasil no Combate às Mudanças Climáticas: Produção e Uso de Energia”, é pioneiro ao incluir a fonte solar nos planos energéticos do país. Com base nesses dados, a ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica) calculou que, para alcançar esse objetivo, o investimento em energia solar deverá ser de R$125 milhões até 2030.

De acordo com o presidente da ABSOLAR, Rodrigo Sauaia, essas novas projeções são um reflexo dos esforços do governo federal em investir no uso de fontes renováveis de energia. Dentre elas a solar fotovoltaica ganha destaque, a qual, segundo Sauaia, deverá ter sua participação na matriz energética ampliada de 0,01% em 2015 para mais de 10% em 2030, crescendo mil vezes em 15 anos.

Investimento em energia solar pode ser maior

Ainda que tais números representassem o maior crescimento da fonte solar relativo ao período, Sauaia pondera que poderia ser maior. “Apesar de representar um avanço considerável frente às projeções anteriores, a ABSOLAR recomenda uma meta nacional de 30 GW em energia solar fotovoltaica até 2030, levando em consideração o envolvimento tanto do governo federal, quanto de governos estaduais e municipais”, disse ele.

Se depender do forte crescimento que o setor solar no Brasil vem apresentando, é provável que as metas sejam alcançadas. O segmento de geração distribuída, que envolvem os micros e minigeradores fotovoltaicos, apresentou um aumento de 320% em 2015. Com mais de 6 mil sistemas instalados em todo o país, a geração distribuída contabiliza hoje 42 MW (megawatts) de potência instalada, equivalendo a R$375 milhões em investimentos privados.

Já o segmento de geração centralizada, o qual irá contratar novas usinas solares no leilão de energia este ano, possui uma potência instalada atual de 3,3 GW e deverá movimentar R$13,5 bilhões até 2018. A respeito desses projetos, Sauaia comenta. “A estimativa preliminar da ABSOLAR para 2017 aponta para um volume de novas contratações para a fonte solar fotovoltaica de 2 GW por meio de leilões de geração centralizada”.

Fonte de Informação: Jornal do Comércio – Fonte

 

Analista de Marketing
Redator e Tradutor

Recomendamos para Você: