Brasil Aumentou em 10% os Investimentos na tecnologia Solar Fotovoltaica em 2017

investimentos-em-energia-solar-aumentam-no-brasil
Brasil Aumentou em 10% os Investimentos na tecnologia Solar Fotovoltaica em 2017
5 (100%) 2 votes

Com um crescimento cada vez mais acentuado, a tecnologia solar fotovoltaica finalmente começa a decolar no Brasil, resultado de investimentos 10% maiores em 2017 do que em relação a 2016, aponta empresa de análise do setor.

Ao todo, foram U$ 6,2 bilhões investidos na tecnologia dentro do país, de acordo com os dados computados pela Bloomberg New Energy Finance (BNEF), que também registrou aumento global de 18%, totalizando U$160,8 bilhões investidos na solar em 2017.

Esse aumento dos investimentos no Brasil possibilitou o país a alcançar, no começo deste ano, a marca histórica de 1 gigawatt da tecnologia instalada, número registrado por poucos países no mundo.

Segundo informações da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), tal potência poderia abastecer 500 mil residências do país, atendendo o consumo de dois milhões de brasileiros.

Essa expansão da tecnologia se dá através de dois segmentos, o de geração distribuída, no qual a energia é gerada próxima ou no próprio local de consumo, e o de geração centralizada, através das grandes usinas solares.

Hoje, o país registra mais de 29 mil sistemas de mini e microgeração distribuída espalhados por todos os estados, os quais somam mais de 221 megawatts de energia.

Já na geração centralizada, são atuais 89 usinas solares em operação, gerando mais de 1 gigawatt da energia limpa pela luz do sol. Mais 23 delas se encontram em construção e 38 para serem iniciadas.

Para os próximos anos, os investimentos na tecnologia deverão continuar expandindo sua capacidade no país, segundo as estimativas dos órgãos oficiais.

Somente no segmento de geração distribuída, as últimas projeções oficiais da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) apontam um total de 886.700 sistemas instalados até o final de 2024.

Entre as razões apontadas para isso, estão a contínua inflação energética que segue encarecendo a energia dos consumidores e as quedas anuais dos preços da tecnologia, além do potencial da tecnologia devido aos altos índices solares.

Fora esses fatores favoráveis, o Brasil recentemente viu a possibilidade de grande visibilidade no setor solar mundial através da inserção em duas organizações mundiais que irão atrair mais investimentos e fortalecer o desenvolvimento da solar no país.

Analista de Marketing
Redator e Tradutor

Recomendamos para Você: