Abrindo Mercado: Governo Irá Reduzir IPI de Veículos Elétricos e Híbridos

Abrindo Mercado: Governo Irá Reduzir IPI de Veículos Elétricos e Híbridos
6.7 (133.33%) 3 votes

Uma ótima notícia para aqueles consumidores que buscam por tecnologias sustentáveis e que geram economia, o governo está em fins de negociação para reduzir o IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados) dos carros elétricos e híbridos comercializados no Brasil.

Segundo informações liberadas pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic) no último dia 5 de janeiro, a alíquota, que hoje é de 25% sobre os veículos elétricos, passará para 7%.

Já sobre os híbridos, esta deverá ficar entre 7% e 9%, com as montadoras finalizando uma proposta única do setor para apresentá-la ao Mdic esta semana.

A iniciativa, que partiu do próprio Mdic, visa fomentar o mercado ainda incipiente desses veículos no país, além de uma forma de reduzir suas pegadas de carbono, e não encontrou resistência uma vez que o impacto fiscal gerado será baixo devido ao volume de vendas.

Segundo informações da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), em 2017 foram comercializados apenas 3.296 desses veículos, três vezes mais que em 216, porém ainda uma participação insignificante sobre os 2,239 milhões de veículos vendidos no país.

A ser anunciada nas próximas semanas, a Casa Civil estuda se a medida será editada como Medida Provisória ou Decreto Presidencial, porém espera que esse programa, chamado de Rota 2030, gere crescimento desse setor.

Com poucos modelos comercializados por algumas montadoras, os veículos elétricos e híbridos atualmente vendidos no Brasil são importados, sendo os elétricos isentos do Imposto de Importação e os híbridos contando com taxas menores, de 7%.

No entanto, antecipando essa que é uma tendência no mundo inteiro, várias montadoras no Brasil já anunciaram que irão começar a venda de seus modelos agora em 2018, incluindo Volkswagen, GM, Nissan, Renault e Toyota. Na medida que esse mercado for ampliando, no entanto, estas e outras deverão começar a produção nacional desses veículos.

Os veículos elétricos, como o próprio nome diz, dispensam por completo o uso do combustível para rodar, tornando-se uma opção limpa e segura para os tradicionais modelos à combustão, além de serem bem mais silenciosos.

Quando aliados, então, a outras tecnologias sustentáveis e de eficiência energética, mais precisamente os sistemas fotovoltaicos já presentes no Brasil e as baterias solares residenciais, os veículos elétricos fecham a trindade tecnológica da atual revolução energética.

Segundo as projeções da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), até 2026 os veículos elétricos e híbridos representarão 2,5% das vendas totais no Brasil.

 

Analista de Marketing
Redator e Tradutor