Próximo de Atingir a Marca de 40 Mil Sistemas Instalados, Brasil Entra Pro Top 30 Dos Que Mais Geram Energia Solar

Próximo de Atingir a Marca de 40 Mil Sistemas Instalados, Brasil Entra Pro Top 30 Dos Que Mais Geram Energia Solar
2 (40%) 2 votes

A energia solar no Brasil é incansável, o sol forte que brilha todos os dias segue levando sua energia gratuita para todos e, a cada ano, mais brasileiros aproveitam dela para gerar a sua própria energia.

Com 99% de representação no segmento de geração distribuída, os sistemas fotovoltaicos consolidaram-se como a opção energética para aqueles que desejam economizar na conta de luz.

Atualmente, o país conta com 39.763 sistemas de micro e minigeração distribuída conectados nas redes de distribuição, devendo chegar a marca histórica de 40 mil até meados de novembro.

No total, esses geradores solares já correspondem por mais de 399 MW (megawatts) de energia gerados através de uma fonte 100% limpa e renovável, sendo a maioria deles instalados nas casas dos consumidores.

Quando somados aos projetos centralizados das grandes usinas solares, até junho deste ano a tecnologia já apresentava uma capacidade instalada no país de 1,6 GW (gigawatts).

Isso representa um crescimento de 45% em comparação ao final de 2017, ano recorde para o Brasil, que ficou entre os dez que mais instalaram capacidade da tecnologia a sua rede elétrica.

No entanto, apesar desse forte aumento a participação da fotovoltaica na capacidade total de geração elétrica do Brasil, que totaliza 160,3 GW, permanece pequena, com apenas 1% – dos quais 0,8% compreende instalações de grande escala e 0,2%, geradores distribuídos.

Com a inflação energética impulsionando mais consumidores para a modalidade de autoconsumo e a tecnologia abocanhando os projetos nos leilões de energia do governo, essa é uma realidade que deverá mudar pelos próximos anos.

Segundo estimativa do Ministério de Minas e Energia (MME), até o final de 2018 a nova capacidade total da fotovoltaica instalada deverá atingir 490,2 MW, enquanto que para 2019 está previsto um volume de 495,1 MW.

Ainda no segmento distribuído, os preços em queda da tecnologia e as linhas de financiamento para aquisição e instalação dos projetos tornaram acessível a tão sonhada economia na conta de luz.

Recomendamos para Você:

Analista de Marketing
Redator e Tradutor