Veículos Elétricos Serão 57% do Total Comercializado no Mundo em 2040, Segundo Estudo

Veículos Elétricos Serão 57% do Total Comercializado no Mundo em 2040, Segundo Estudo
3.7 (73.33%) 3 vote[s]

O aumento nas vendas de carros elétricos e os anúncios feitos por alguns países para a restrição na venda de modelos à combustão já mostram que estamos a caminho de um futuro com cada vez mais veículos elétricos.

E esse futuro parece estar muito próximo, segundo a empresa de pesquisa Bloomberg New Energy Finance (BNEF), que divulgou o seu relatório anual Electric Vehicle Outlook 2019 (Panorama dos Veículos Elétricos 2019, em tradução livre).

Segundo o estudo, até o final de 2040 os automóveis elétricos irão corresponder por até 57% do total vendido mundialmente, um leve aumento em relação ao resultado divulgado em 2018.

A empresa estima que serão 28 milhões de unidades vendidas anualmente até 2030 e 56 milhões em 2040, um salto gigante em comparação aos 2 milhões vendidos no ano passado.

Em contrapartida, as vendas de veículos tradicionais à combustão deverão cair dos 85 milhões vendidos em 2018 para 42 milhões em 2040.

Dois principais fatores deverão puxar esse crescimento pelos próximos sete anos, segundo as previsões da BNEF: as políticas de incentivo dos países (como já está acontecendo) e a corrida pelos veículos elétricos na China.

A partir de 2020, então, a queda nos custos das baterias de Íon-lítio, utilizadas tantos nos veículos como nas baterias solares residenciais, se tornará o grande fator na expansão dos veículos elétricos.

Somente na última década, os ganhos em escala e os avanços tecnológicos fizeram com que os preços das baterias de Íon-Lítio caíssem 85% por kilowatt-hora (kWh). 

E é essa tendência na queda dos custos das baterias, componente mais oneroso dos veículos, que irá resultar na queda dos preços dos elétricos, que segundo a BNEF estarão mais baratos que os modelos tradicionais já ao final de 2020.

De acordo com Colin McKerracher, líder do estudo, é muito possível que já tenhamos visto o pico nas vendas dos veículos à combustão.

Muitos carros elétricos significam muita energia, e o crescimento desses novos modelos irá puxar um aumento de 6,8% na demanda mundial por eletricidade, além de mais baterias, que podem vir a faltar caso não se criem novas técnicas de mineração para garantir a extração dos seus materiais, alerta a BNEF.

Entre os países puxando essa revolução energética, a BNEF prevê uma liderança da China em 2040, com 26% do mercado total, seguida pela Europa e Estados Unidos, além de um “crescimento fragmentado” nos outros países, de acordo com o relatório.

Já nas classes de veículos, enquanto os elétricos serão a grande atração entre os modelos comerciais, o relatório prevê uma participação de apenas 19% deles entre caminhões e modelos pesados.