Estudo da IRENA Comprova: Geração Por Fontes Renováveis Já Se Igualam No Valor Com Combustíveis Fósseis

O que achou?

A Agência Internacional para as Energias Renováveis (International Renewable Energy Agency ou IRENA, em inglês) publicou um relatório especial para a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP24), em realização na cidade de Katowice, na Polônia.

Intitulado “Energia Renovável: Energia De Clima-Seguro Compete Pelo Preço Sozinha” (em tradução livre), o estudo aborda os preços em queda das tecnologias de geração pelas fontes renováveis e como elas se tornaram não somente opções limpas aos combustíveis fósseis, mas também mais rentáveis.

Segundo os autores do artigo, com as negociações climáticas desse momento concentrando-se em soluções práticas para reduzir as emissões de carbono, as lideranças dos países estão comprometidas em acelerar a implantação de energia renovável como substituta aos combustíveis fósseis nas próximas décadas.

No entanto, o principal impulsionador para essa transição ainda é a economia, e com isso essas tecnologias devem oferecer, além da sustentabilidade, oportunidades econômicas atrativas.

Assim, o estudo mostra, através da análise do custo nivelado de geração elétrica, que os preços das tecnologias de energia renovável têm diminuído dramaticamente nos últimos anos e, hoje, se tornaram opções economicamente viáveis aos combustíveis fósseis e até mesmo a energia nuclear.

Em 2017, de acordo com os dados do estudo, a geração elétrica por combustíveis fósseis ficou entre US$ 0,047 e US$ 0,167 por quilowatt-hora (kWh), exceto em locais remotos, como ilhas, onde o custo é bem mais alto.

A geração por usinas de energia solar fotovoltaica, por sua vez, apresentou o custo de US$ 0.10 / kWh no mesmo ano, após queda de 73% em seus custos desde 2010, afirma o estudo.

Já as usinas eólicas em terra registraram queda de 23% nesse mesmo período e, hoje, apresentam os valores mais baixos entre as fontes renováveis, de cerca de US$ 0,06 / kWh , ou mesmo até USD 0,04 / kWh.

Assim, depois de quase uma década de declínio constante dos custos das tecnologias solar e eólica, as energias renováveis se tornaram uma maneira cada vez mais competitiva de atender às novas necessidades de geração.