Demanda de Painéis Fotovoltaicos Deve Atingir 125,5 GW Em 2019, Segundo Novo Relatório

O que achou?

Com o aumento anual no uso da tecnologia fotovoltaica em todo o mundo, cresce também a demanda pelos seus principais equipamentos, como as placas solares, que deverão atingir uma capacidade de 125,5 gigawatts (GW) em 2019.

A previsão foi divulgada pela empresa de pesquisa taiwanesa EnergyTrend e, caso se concretize, marcaria um crescimento anual de 16% em relação a 2018, quando foram comercializados cerca de 104 GW de placas fotovoltaicas.

Entre os motivos para esse crescimento da demanda mundial, que os analistas acreditam que deva continuar até 2020, está o aumento no número de países com mercados solares acima de 1 GW, que deverá saltar de 16 em 2018 para 21 este ano. 

Segundo o estudo, isso também criará uma diversificação geográfica na demanda pela tecnologia, onde os novos projetos levarão o uso das placas solares às mais diversas regiões do globo. 

De acordo com dados preliminares, os fabricantes chineses já exportaram cerca de 28,5 GW de módulos para o mercado entre janeiro e maio de 2019

Isso é quase o dobro do volume alcançado em 2018, quando os embarques para os mercados estrangeiros atingiram 14,6 gigawatts.

O mercado europeu, outro grande representante mundial, também tem crescimento esperado para a sua demanda fotovoltaica em 2019, saltando cerca de 83% em relação aos 11,9 GW de 2018 e fechando este ano com 21,8 GW.

Segundo o estudo, isso deverá favorecer os fornecedores chineses impactados pelas novas políticas do país, que aproveitarão esse novo canal de exportação agora que a barreira de preço mínimo europeu de importação foi removida.

Os analistas também atribuem o crescimento esperado da demanda européia ao Acordo de Paris. Juntos, esses dois fatores combinados deverão puxar a demanda fotovoltaica europeia em mais 10% em 2020, saltando para 24 GW.

O relatório aponta também que regiões como a América do Sul, o Oriente Médio e a África deverão ter novos de seus países atingindo mercados de escala em gigawatts em 2019.

No cenário global, a China e os Estados Unidos continuarão sendo o primeiro e o segundo maiores mercados este ano, seguidos pela Índia e pelo Japão, informou o estudo.