Com 50 Mil Sistemas, Energia Solar no Brasil Começa o Ano Com Dobro de Instalações Esperado

Com 50 Mil Sistemas, Energia Solar no Brasil Começa o Ano Com Dobro de Instalações Esperado
3.3 (65.71%) 7 votes

Com um 2018 de novos recordes para a geração solar fotovoltaica no Brasil, o setor se prepara para ano novo de sequência nesse ritmo, com o dobro de instalações de geradores esperado até o final de 2019.

Gerar a própria energia elétrica se tornou o investimento favorito dos consumidores brasileiros, que em 2018 apostaram em peso na tecnologia como saída para economizar na conta de luz.

Os números são de encher os olhos e não mentem: foram 28.036 novas instalações no ano, mais que o dobro do total registrado até o final de 2017, quando haviam 21.987 gerados conectados à rede elétrica.

Esses são os dados oficiais computados pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), órgão que também regulamentou o segmento de geração distribuída através de sua Resolução Normativa 687, de 2012.

Isso significa que, somente no ano passo, o mercado de geração solar pelos consumidores cresceu mais que os 5 anos anteriores juntos, mostrando claramente uma tendência de crescimento já esperada para os próximos anos.

Para 2019, o crescimento estimado é de mais de 100%, com um total de 104.506 sistemas residenciais e comerciais conectados até o final do ano, segundo a nota técnica 0056/2017 da ANEEL.

Os motivos para essa migração dos brasileiros para a geração solar são muitos, mas a contínua inflação no preço da energia elétrica brasileira e o consequente salgado preço das contas de luz são os principais.

Segundo uma pesquisa de opinião pública encomendada pela Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel) e divulgada em junho do ano passado, 86% dos entrevistados disseram achar o preço da energia cobrada pela sua distribuidora como cara ou muito cara.

E é exatamente nessa dor de bolso dos consumidores que a tecnologia traz o seu o maior alívio, uma vez que permite a redução de até 95% no valor da fatura.

Com tal possibilidade, aliada aos demais incentivos para a geração solar, como a valorização do imóvel e sustentabilidade, brasileiros apostam nos sistemas não como uma aquisição, mas um investimento.

Os próprios bancos veem a tecnologia dessa forma e linhas de financiamento hoje são oferecidas a taxas de juros atrativas para quem deseja transformar seu telhado em um microusina solar, possibilitando, em alguns casos, pagar o boleto com a economia obtida na conta de luz.

Se por um lado a perspectiva é de mais um ano de inflação no preço da energia no Brasil, por outro é a economia para quem escolher gerar a própria energia solar.