Energia Solar em Campo Grande: 3 Casos de Sucesso Que Explicam Tudo + Valor de Projetos

Energia Solar em Campo Grande _ Saiba Tudo com 3 Casos
Energia Solar em Campo Grande: 3 Casos de Sucesso Que Explicam Tudo + Valor de Projetos
4.5 (90%) 2 vote[s]

A energia solar em Campo Grande é um sucesso e cresceu mais de 304% em 2019. Conheça mais sobre essa tecnologia através de três casos de sucesso na cidade, confira seu funcionamento e vantagens, além de como e por quanto instalar um sistema na sua casa e empresa.  

Pagar conta de luz em Campo Grande não está fácil para o bolso, não é mesmo?

As cobranças abusivas da Energisa foram tantas que a empresa lidera o número de reclamações do Procon/MS.

Com isso, é cada vez maior o número de consumidores que apostam na geração de energia solar em Campo Grande para fugir desse problema.

A tecnologia possibilita gerar toda a energia que você consome em sua casa ou empresa e, assim, economizar até 95% nas faturas todos os meses.

Quer mais? Ela ainda te deixa imune a novos aumentos na conta de luz e bandeiras tarifárias.

Entendeu porque a procura pela tecnologia solar só cresce na cidade e no resto do Brasil?

Neste artigo você irá conhecer a tecnologia através de 3 casos de consumidores campo-grandenses que já estão produzindo a sua energia.

Veja como funcionam os sistemas, suas vantagens e como instalar, além de uma ferramenta que te mostra na hora o valor do seu projeto.

Como Funciona Energia Solar? (Sistema do Cosme)

O primeiro caso é do Cosme, morador em um condomínio residencial em Campo Grande.

energia solar Campo Grande

Desde maio de 2019, ele já está produzindo a sua energia elétrica através de seu sistema fotovoltaico do tipo conectado à rede.

Todos os dias, as placas instaladas sobre o seu telhado, e que formam o painel solar, transformam a luz do sol em energia elétrica.

Para saber como isso é feito, acesse o artigo completo: Célula Fotovoltaica – O Guia Completo

Depois, a energia gerada é enviada até o inversor interativo, equipamento do sistema que fica instalado dentro do imóvel.

O inversor é responsável por adaptar a energia gerada pelas placas no tipo de energia que consumimos em nossas tomadas.

Feito isso, essa energia passa pelo quadro geral e é distribuída por toda a residência do Cosme.

Como ele fica fora de casa durante o dia, a energia gerada nesses momentos é muito maior que o consumo existente.

Dessa forma, o inversor envia todo esse excedente para a rede elétrica, que é emprestada para a Energisa.

Quando o Cosme chega em casa, o sol já está quase se pondo e a noite começando, períodos de pouca ou nenhuma produção do seu sistema.

Assim, nessas horas o inversor puxa da rede a energia que ele irá consumir em sua casa.

O seu relógio de luz, um modelo bidirecional que foi instalado junto com o sistema, registra para a Energisa toda a energia que entra e que sai.

Confira o resumo de todo esse funcionamento do sistema através da rápida animação abaixo:

Créditos Energéticos

De acordo com as regras do segmento de geração distribuída, toda a energia excedente injetada na rede é transformada em créditos energéticos.

São esses créditos que possibilitam a economia de até 95% na conta de luz, pois abatem a energia consumida durante a noite.

Esse sistema foi criado em 2012 pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) por meio de sua Resolução Normativa 482.

Assim, no caso do Cosme, desde que ele instalou o sistema a sua conta de luz passou a registrar dois valores:

  • Energia injetada (créditos);
  • Energia consumida (débito).

Os créditos já são descontados automaticamente pela distribuidora e, caso sobre, o saldo restante continua válido por 5 anos para abatimento em faturas posteriores.

Em 2015, através da Resolução Normativa 685, a Aneel criou 3 novas modalidades de geração que permitiram outros tipos de consumidores gerarem sua própria energia.

Entre esses estão os moradores em apartamentos, que podem gerar sua energia de forma remota em outro imóvel de mesma titularidade.

Saiba mais sobre essas possibilidades através do artigo completo:Geração de Energia – 3 modalidades.

Quanto Custa Energia Solar em Campo Grande? (Caso #2)

Em nosso segundo caso, vamos entender quanto custa um sistema solar em Campo Grande analisando o projeto do Mario.

Desde janeiro deste ano, o Mario já vem economizando todo o mês com a energia solar.

Seu sistema residencial saiu por pouco mais de R$17 mil.

Nesse valor estava tudo incluso, desde os projeto, passando pelos equipamentos até a instalação e conexão do seu gerador.

Para isso, o Mario procurou uma empresa de energia solar especializada, que dimensionou e projetou o sistema especificamente para a sua residência.

Aliás, esse é um requisito básico para garantir a economia de até 95% na conta de luz.

Cada casa ou empresa possui um consumo de energia e particularidades na sua construção que devem ser levadas em conta na hora de dimensionar o sistema.

É por esse motivo que o seu sistema de energia solar em Campo Grande não será igual ao do Mario.

Os projeto são exclusivos, a quantidade de equipamentos e mão de obra são diferentes, resultando em um valor final distinto. 

Mas, existe uma forma fácil e muito rápida de você conhecer o valor estimado do seu sistema: uma calculadora solar.

Da mesma forma que o Mario fez, você também pode utilizar ela para simular o custo e tamanho do sistema ideal para você.

Basta clicar no botão abaixo. Não demora nem 1 minuto, confira:

energia solar Campo Grande

Como Instalar Energia Solar em Campo Grande? (Caso #3)

Foram cinco passos que levaram o Fábio da vontade de gerar a sua energia até o momento em que seu sistema começou a funcionar.

No nosso terceiro e último caso de sucesso da energia solar em Campo Grande, vamos ver esse passo a passo para a aquisição da tecnologia.

energia solar Campo Grande _ sistema fotovoltaico

1) Orçamento

Após simular seu sistema e ver como a energia solar residencial vale a pena, o Fábio não quis mais perder tempo e decidiu que era hora de investir na tecnologia.

Para isso, ele deu o primeiro passo que foi solicitar o orçamento do seu projeto junto a uma empresa de energia solar.

Através dele que ele conheceu as marcas e modelos dos equipamentos que seriam instalados.

Além disso, ficou sabendo a geração e economia mensais estimadas, tempo de retorno do investimento e também a área que seria ocupada pelo seu painel solar. 

Se você vai instalar energia solar, então já pode solicitar agora mesmo o seu orçamento gratuito através do botão abaixo:

2) Projeto

Após fechar o orçamento com a empresa, o próximo passo foi a realização do seu projeto pela empresa.

Para isso, a equipe técnica da empresa foi até a sua residência para realizar a visita técnica.

Nessa hora, foram coletadas as informações necessárias para o dimensionamento e instalação do seu projeto.

Entre essas estavam o espaço disponível e condições do seu telhado para recebimento do grupo de placas solares.

Além disso, também foi escolhido o local ideal para a instalação do inversor fotovoltaico.

Após colhidas essas informações, os engenheiros da empresa realizaram o projeto do sistema que foi entregue à Energisa.

3) Instalação

A instalação do sistema foi a etapa mais rápida de todo o processo percorrido pelo Fábio para a aquisição da tecnologia.

Foram apenas 4 dias para a instalação do seu sistema, com uma equipe de 3 instaladores.

O prazo incluiu a instalação de todos os equipamentos do sistema, sua conexão e testes de funcionamento.

Aliás, o acabamento dado na instalação é um quesito que distingue uma boa empresa nessa hora, como pode ser visto na imagem do seu sistema acima.

Isso foi válido especialmente com o inversor, que ficou visível e ao seu alcance para que ele pudesse acompanhar a geração do seu sistema.

5) Conexão

Por fim, o último passo do Fábio para começar a sua economia com energia solar foi a conexão do seu sistema junto a rede elétrica da Energisa.

Essa parte foi realizada pela própria equipe da distribuidora, que foi até o local para a vistoria da instalação.

Os técnicos analisaram as condições do sistema e conferiram se estavam de acordo ao projeto apresentado.

Com tudo estava em ordem, a equipe então realizou a troca do relógio medidor pelo modelo bidirecional.

Após realizar os últimos testes, a equipe conectou o seu sistema à rede elétrica e pronto!

Ele então passou a gerar a sua energia solar em Campo Grande e iniciou um ciclo de 25 anos de economia na sua conta de luz.