Energia Solar Cresceu Mais Entre Empresas no Brasil em 2019

O que achou?

A energia solar fotovoltaica registrou mais um ano de forte crescimento no Brasil em 2019, mas em nenhum outro segmento ele foi tão acentuado quanto no empresarial.

Foram 14.718 conexões comerciais até o final de novembro, segundo os dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que controla a geração distribuída de energia no país.

Isso representa um crescimento de mais de 137% em relação ao volume instalado no ano passado, quando conectaram-se 6.208 desses geradores à rede.

O Paraná foi um dos estados do Brasil que mais registrou esse tipo de conexão, com 716 sistemas comerciais instalados em 2019.

Beneficiada pelo forte sol paranaense, a tecnologia oferece rápido retorno aos seus moradores, como no uso da energia solar em Ponta Grossa.

O crescimento desse tipo de instalação ficou acima até mesmo das conexões em residências, segmento de maior volume no país, com 72% dos geradores instalados em 2019.

Entretanto, em termo de potência instalada, essa diferença foi bem menos acentuada, sendo 414 Megawatts (MW) de sistemas residenciais e 375 MW de sistemas comerciais.

Isso se deve à maior potência dos geradores comerciais, dimensionada para atender todo o consumo de uma empresa e, assim, trazer a economia de até 95% na conta de luz.

É grande a variedade de estabelecimentos que faz uso de placas solares, como hospitais, igrejas, clínicas veterinárias, lojas de varejo e muitos outros.

Um desses sistemas é o do Leonardo Santos, empresário e dono de um posto de gasolina na cidade de Batatais, interior do estado de São Paulo.

Através de um projeto inovador, que utilizou as próprias placas como “telhas” da nova cobertura da sua loja de conveniência, ele conseguiu uma economia de 60% nas contas.

Com preços em queda e maior facilidade para financiamento, estima-se que o número de sistemas fotovoltaicos continue crescendo em todo o Brasil.

De acordo com a estimativa oficial do Ministério de Minas e Energia (MME), serão 1,35 milhão de consumidores com geração própria de energia até 2027.