Em Tempos de Crise de Combustível, Carros Elétricos e Energia Solar Reforçam Suas Vantagens

Em Tempos de Crise de Combustível, Carros Elétricos e Energia Solar Reforçam Suas Vantagens
5 (100%) 3 votes

A greve dos caminhoneiros no Brasil, que chega ao seu 10 º dia hoje, causou uma tremenda dor de cabeça para os brasileiros que dependem de seus automóveis no dia a dia para trabalhar e outras necessidades.

Sem permissão para transitar pelas estradas, os caminhões-tanque não conseguiam abastecer os postos de gasolina que, por sua vez, não conseguiam atender a fila de carros, caminhonetes e motos que esperam pelo tão necessitado combustível.

Mesmo agora, com a situação aos poucos voltando ao normal, esses consumidores ainda sofrem com a alta dos preços dos combustíveis devido a pouca oferta.

Toda essa crise dos combustíveis, entretanto, não teve nenhum impacto na vida do gestor hospitalar Edgar Escobar, proprietário de um veículo elétrico na cidade de São Paulo.

Isso porque o veículo não depende de gasolina, Etanol ou Diesel para rodar, apenas de energia elétrica, que pode ser obtida diretamente da tomada de sua casa, ou em postos de recarga existentes em alguns supermercados e shoppings da capital.

Desde que optou pela transição para o elétrico , Edgar diz que passou a ter um aumento na conta de luz de $45, o que é nada quando comparado a economia que teve em relação ao antigo carro a combustão, que consumia R$800/mês com gasolina.

Existem aqueles que logo irão dizer: mas o que adianta adquirir um carro elétrico se o preço da energia no Brasil é caro e continua subindo cada vez mais?

Pois é nessa hora que entra a questão da geração própria de energia através dos sistemas solares fotovoltaicos. Com um desses instalado na casa ou empresa, o consumidor pode gerar toda a sua energia através da luz do sol, e de graça!

Nesse sistema, o painel solar instalado no telhado converte a luz do sol em energia elétrica, que é enviada para o inversor e convertida nas características da rede elétrica, com o excedente sendo injetado nesta e convertido em créditos para o consumidor, que então os utiliza para abater do que consumiu da rede.

Consumidores conseguem, assim, economizar até 95% na conta de luz, economia que será obtida por até 25 anos (tempo de vida útil do sistema) e que supera em muito o tempo de retorno do investimento, que é de 5 a 6 anos, em média.

Essa tecnologia se encontra em forte expansão pelo Brasil desde 2012, quando foram criadas as regras do segmento de geração distribuída pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) por meio de sua Resolução Normativa Nº 482.

No Brasil todo, hoje, já são mais de 29 mil desses sistemas instalados e esse crescimento segue forte com consumidores aproveitando a queda dos preços e linhas de financiamento facilitadas.

Em contrapartida a venda de veículos elétricos ainda é de pouca expressividade no país, com apenas 3.296 unidades vendidas em 2017, muito disso devido aos custos elevados desses modelos.

Isso, no entanto, tende a melhorar conforme o governo anunciou a redução do IPI sobre os elétricos de 25% para 7% (100% elétricos) e de 7% a 9% para modelos híbridos. 

Conforme essas tecnologias vão se difundindo e popularizando, tanto aqui como lá fora, a tendência é que, daqui a alguns anos, todos nós sejamos que nem o Edgar, “abastecendo” nossos carros na tomada de nossas casas movidas a energia solar. 

Fonte de informação: Folha de S. Paulo – Site

Recomendamos para Você:

Analista de Marketing
Redator e Tradutor