Energia Solar em Minas Gerais: Saiba o Preço, Razões e Por Quanto Instalar Seu Sistema Solar

Energia Solar em Minas Gerais: Saiba o Preço, Razões e Por Quanto Instalar Seu Sistema Solar
4 (80%) 2 vote[s]

Gerar energia solar em Minas Gerais é uma tendência que não para de crescer entre os consumidores e o estado segue invicto na liderança da tecnologia, oferecendo incentivos e condições climáticas favoráveis para a instalação dos sistemas. Veja como, por que e por quanto instalar o seu projeto.

Desde 2012, ano em que os sistemas de energia solar começaram a se espalhar pelo Brasil, Minas Gerais sempre manteve a liderança nacional nas instalações.

Entre os motivos para isso, estão:

  • políticas de incentivo do governo estadual,
  • alta tarifa da energia elétrica;
  • forte incidência solar.

Hoje, mais de quarenta mil consumidores mineiros produzem sua própria energia através de placas fotovoltaicas e economizam até 95% na conta de luz todos os meses.

Além de todas as demais vantagens obtidas com a instalação dessa tecnologia que dura mais de 25 anos.

Se você quer saber como, quanto custa e porque instalar energia solar em Minas Gerais, então esse guia é para você. Confira abaixo:

Quanto custa energia solar em Minas Gerais

Em primeiro lugar, vamos falar sobre aquilo que todos querem saber: quanto gasta para colocar energia solar?

Hoje, um sistema fotovoltaico residencial pode custar a partir de R$23 mil, incluindo equipamentos e mão de obra.

Conforme aumenta o tamanho do imóvel, e consequentemente o seu consumo elétrico, aumenta também o valor do sistema solar.

No entanto, não é apenas o consumo elétrico do imóvel que impacta no valor final de um projeto de energia solar residencial ou empresarial.

São n fatores considerados nesse cálculo que tornam cada projeto único e exclusivo.

Quando você decide pela instalação do sistema, deve procurar uma empresa de energia solar para que ela realize corretamente esse dimensionamento e cálculo do preço.

Mas, para que você consiga descobrir agora mesmo uma estimativa bem próxima do preço do seu projeto, existe a calculadora solar.

Trata-se de uma ferramenta online que, em menos de 2 segundos, pode te mostrar:

Após o resultado da simulação você também poderá solicitar o orçamento do seu projeto, feito pela equipe da Blue Sol e que é o primeiro passo para você instalar energia solar na sua casa ou empresa.

Saiba agora quanto custa para você ter energia solar em Minas Gerais clicando no botão abaixo 👇

energia solar em Minas Gerais _ botão simulador

Energia solar: Como funciona?

Sistemas fotovoltaicos geram energia pela conversão direta da luz do sol e utilizam para isso um conjunto de equipamentos que chamamos de kit solar.

Os principais deles são as placas solares, que juntas formam o painel solar, e o inversor interativo, responsável por tornar essa energia utilizável.

Confira uma rápida explicação do funcionamento desses sistemas pelo vídeo abaixo:

Você viu então que os sistemas funcionam em conjunto com a rede elétrica da distribuidora local, razão pela qual são chamados de sistemas conectados à rede, ou On-Grid, no termo em inglês.

Ela funciona como uma bateria, recebendo a energia em excesso gerada durante o dia e fornecendo a energia necessária durante os períodos noturnos ou de baixa luminosidade.

Créditos Energéticos

Para regular essa troca de energia entre consumidor e distribuidora, assim como o processo de conexão dos sistemas à rede, normas precisaram ser criadas.

Isso aconteceu em 2012, ano em que a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), promulgou as regras da geração distribuída em sua Resolução Normativa 482.

Foi então criado o sistema de compensação de energia elétrica, os créditos energéticos, grande marco do setor e que tornou viável a autogeração pelos consumidores.

Nesse sistema, toda energia gerada pelo consumidor e injetada na rede é gratuitamente emprestada para a distribuidora, que depois devolve essa energia na forma de créditos energéticos.

Por sua vez, esses créditos abatem a energia que o consumidor utilizou da rede, sendo que o excedente ainda fica disponível para uso por 5 anos.

A medição da energia que entra e que sai do imóvel é feita através de um relógio bidirecional substituto do modelo tradicional e que é instalado junto com a conexão do sistema.

Todos os meses, a distribuidora computa esses dois valores e os informa para você em sua conta de luz.

Se você adquire um sistema para suprir toda a energia que consome em seu imóvel, os créditos gerados no mês quase sempre serão suficientes para abater todo o consumo da rede.

Lembrando que você também pode adquirir um sistema para suprir apenas parte da energia que consome, nesse caso obtendo uma menor redução na conta de luz.

Dessa forma, os consumidores do Grupo B (casas e médias empresas) passam a pagar apenas pela taxa mínima de luz, enquanto os grandes consumidores do Grupo A pagam, no mínimo, pela demanda contratada. 

O resultado é uma economia de até 95% (ou até mais!) na conta de luz, maior vantagem da instalação de energia solar.

Veja abaixo dois casos reais da economia obtida com o uso dos sistemas fotovoltaicos: 

Sistema residencial

 

 

 

 

 

Sistema comercial

 

 

 

 

 

 

 

 

5 razões para instalar energia solar

Mas a redução nas contas de luz não é a única vantagem obtida com a tecnologia fotovoltaica.

Podemos enumerar pelos menos 5 outras grandes razões para você instalar um painel solar em sua casa ou empresa. Veja abaixo:

# 1 – Valorização do imóvel

Um outro grande benefício da instalação de um sistema fotovoltaico é a imediata valorização do seu imóvel.

Uma casa que gera a própria energia possui mais valor no mercado do que uma casa tradicional.

Isso foi comprovado através de uma pesquisa realizada nos EUA em 2017, que analisou a venda de 23 casas.

O resultado mostrou que os compradores pagavam até US$15 mil a mais em casas com placas solares.

Saiba mais através do artigo completo: Painéis Solares: a economia que agrega valor aos imóveis

#2 – Rápido Retorno do Investimento

A aquisição de um sistema solar é um investimento que, assim como aplicar na poupança ou em ações, te traz retorno financeiro.

No caso do uso de placas solares, esse retorno é obtido através da economia na conta de luz.

Todos os meses, o valor que você deixou de pagar na conta é dinheiro que ficou no seu bolso e uma parte do investimento no sistema que você obteve de volta.

Assim, no decorrer do tempo essa economia mensal irá te trazer de volta todo o capital que você aplicou na compra do sistema.

Esse prazo para amortização da tecnologia, chamado também de retorno do investimento em energia solar, é muito atrativo em Minas Gerais.

Segundo um estudo realizado pela empresa COMERC, um sistema solar instalado em Belo Horizonte se paga, em média, em 3,7 anos.

Já o prazo de retorno médio de um sistema comercial instalado em alta tensão é de 6,63 anos.

Ambos cenários são muito atrativos quando levamos em consideração a…

#3 – Longa vida útil da tecnologia

Instalar um sistema de energia solar é garantir, no mínimo, 25 anos de energia limpa para a sua casa ou empresa.

Esse é o tempo de vida útil padrão das placas solares, que pode ser ainda maior.

Na Europa, onde a tecnologia se espalha desde meados dos anos 90, existem casos de painéis solares em atividade há mais de 30 anos.

Além disso, a perda de eficiência dos painéis, ou seja, o quanto eles conseguem converter luz em energia, é muito pouca ao fim desse período.

Os melhores módulos a venda no mercado possuem garantia de fábrica para manter no mínimo 80% da sua eficiência original após os 25 anos.

#4 – Pouca manutenção

Um mito sobre a energia solar é de que ela necessita de muitas manutenções durante a sua vida útil, o que é uma grande mentira.

Embora fiquem expostas no telhado e sujeitas às condições do clima por 24 horas, as placas demandam pouca manutenção além da sua limpeza quando muito sujas.

Em regiões de chuvas regulares, isso raramente é necessário, pois a própria água que cai sobre elas já garantem a remoção da poeira depositada.

Isso porque elas possuem uma camada hidrofóbica, que facilita a remoção e evita que essa sujeira se fixe sobre elas.

Em lugares com pouca chuva, um simples jato de água de mangueira é o suficiente.

A manutenção elétrica do sistema, feita por técnicos especializados, também deve ser feita para garantir a longevidade da tecnologia.

Porém, isso se faz necessário apenas uma ou no máximo duas vezes por ano.

#5 – Imunidade contra a inflação energética

Por fim, mas não menos importante, a instalação de um sistema fotovoltaico garante a proteção contra o aumento da energia elétrica.

Para nós brasileiros, que sofremos com a constante inflação energética e acionamento de bandeiras tarifárias, essa é, junto com a economia na conta, uma das melhores vantagens para se instalar um sistema.

Uma vez que toda a energia que você consome passa a ser atendida pelo seu sistema, não importa se o preço da energia subiu.

Os créditos que você gerou abatem a energia que você consumiu sem levar em consideração o preço da tarifa ou a bandeira em vigor naquele mês.

É segurança na conta e tranquilidade na cabeça por mais de 25 anos.

Uso e incentivos da energia solar em Minas Gerais

Desde 2012, o número de sistemas de energia solar em Minas Gerais já cresceu mais de 892.750% !!!

Eram apenas 4 sistemas instalados em todo o estado naquele ano, segundo os dados da Aneel, número que saltou para mais 35.714 ao final de 2019, cerca de 20,8% do total de instalações no país naquela data.

Esse crescimento exponencial, que se reflete em todo o país, é fruto não só das vantagens da tecnologia, mas dos incentivos oferecidos para energia solar.

O estado mineiro foi pioneiro nesse sentido, sendo o primeiro a oferecer a isenção de ICMS sobre energia solar gerada pelo consumidor.

Já a isenção de PIS e COFINS é oferecida a nível nacional pelo Governo Federal por meio do artigo 8º da Lei n° 13.169, de 2015.

A maior parte dos sistemas de energia solar instalados em Minas Gerais são residenciais (67,9%), seguidos por comerciais (19,23%), rurais (9,36%), industriais (2,94%) e os demais distribuídos entre prédios, serviços e iluminação públicos.

Estádio Governador Magalhães Pinto

Uma das instalações solares mais emblemáticas de Minas Gerais é a do estádio Governador Magalhães Pinto, melhor conhecido como o Mineirão.

Ele foi o primeiro estádio do mundo que sediou uma partida da Copa do Mundo (Colômbia x Grécia, em 14 de junho de 2014) operando com uma usina solar.

A usina, instalada no topo do estádio, possui um painel com 6 mil placas que ocupam uma área de 11,5 mil m², tendo capacidade de produção de 1,42 MWp (Megawatt-pico).

Desta, apenas 10% é usada no estádio, enquanto o resto é distribuído pelo estado através da rede elétrica da CEMIG (Companhia de Energia Elétrica de Minas Gerais).

energia solar em Minas Gerais _ teto solar estádio mineirão

Usina Solar Pirapora

Além da liderança nacional em projetos de micro e minigeração distribuída, Minas Gerais também se destaca na produção centralizada de energia solar através de grandes usinas.

Mais de 15 parques solares se encontram em operação no estado, sendo o maior deles a usina solar Pirapora, que se estende por 350 km de uma planície ao norte de Belo Horizonte e que já foi a maior usina solar do Brasil. 

São cerca de 1,2 milhão de placas instaladas a 1,20 m do solo e sobre estruturas rastreadoras, os chamados sistemas tracker, que direcionam os painéis conforme a movimentação do sol para que sempre estejam em face direta a sua radiação.

energia solar em Minas Gerais _ usina solar Pirapora

O projeto é de propriedade e operado pela operado pela francesa EDF Energies Nouvelles (EDF EN), e possui uma capacidade total instalada de 321 Megawatts, suficiente para alimentar 420 mil casas em um ano.

Avaliado em R$2 bilhões, o projeto contou com financiamento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Recentemente, a empresa Omega Geração adquiriu 50% do projeto, a um valor de R$1,1 bilhão, tornando-se codetentora da usina de Pirapora.