Energia Solar em Sorocaba: o Essencial Para o Seu Projeto + Preço

Energia Solar em Sorocaba: Saiba o Essencial + Preço _ capa blog

Sua procura por energia solar em Sorocaba acabou!

Com a chegada da Blue Sol na cidade, você já pode adquirir o melhor projeto para a sua casa, empresa ou propriedade rural.

Para ajudar você nessa escolha, preparamos este artigo com as principais informações sobre a tecnologia:

  • Preço;
  • Como funciona;
  • Quais os equipamentos;
  • Vantagens;
  • Como instalar.

Confira tudo isso aqui 👇

Quanto custa energia solar em Sorocaba?

Em primeiro lugar, vamos falar sobre a principal dúvida de todos que buscam a tecnologia: o preço.

O custo final de um sistema de energia solar é composto por seus equipamentos + a mão de obra de instalação.

Hoje, um projeto de energia solar em Sorocaba pode custar a partir de R$15 mil para uma residência de pequeno porte.

Quanto maior for o tamanho e o consumo elétrico do imóvel, maior será o sistema necessário e o custo da instalação.

Portanto, você só conhece o preço final do seu projeto quando solicita um orçamento junto a uma empresa especializada, como a Blue Sol.

Mas você pode obter a estimativa do preço do seu sistema agora mesmo através do nosso simulador solar on-line.

Clique e descubra em poucos minutos quanto custa para você ter seu gerador de energia solar em Sorocaba 👇

Clique aqui e simule quanto custa instalar energia solar e gerar sua energia

Como Funciona Energia Solar

O funcionamento básico de um sistema de energia solar fotovoltaica (ou sistema fotovoltaico) é bem simples.

As placas solares geram energia elétrica ao contato com a luz do sol.

Quer aprofundar seus conhecimentos? Leia> Célula Solar: Como a Luz do Sol Gera Energia Elétrica

Em seguida, a energia das placas vai continuamente para o inversor solar de frequência.

O inversor é o equipamento que adapta o tipo de corrente elétrica da energia gerada pelo painel solar para que, assim, ela possa alimentar nossos equipamentos.

Logo após convertida, a energia vai para o quadro geral e é distribuída pelo imóvel.

Energia elétrica é algo instantâneo.

Se não for consumida imediatamente, deve ser direcionada para algum lugar.

Por isso, conectam-se os sistemas à rede elétrica da distribuidora.

Ou seja, a CPFL, no caso dos geradores de energia solar em Sorocaba.

Veja como funciona um sistema fotovoltaico conectado à rede na rápida animação abaixo:

Créditos Energéticos

Você viu, então, que toda a energia injetada na rede pelo seu sistema vira créditos para você.

Essa possibilidade surgiu em 2012, ano em que a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) promulgou a sua Resolução Normativa 482.

O documento reúne o conjunto de regras que deu início à chamada Geração Distribuída (GD) no Brasil.

Entre elas está o sistema de compensação de energia elétrica e os créditos energéticos.

De maneira simples, esse sistema permite à qualquer consumidor realizar a troca da energia do seu gerador com a energia da distribuidora de sua região.

Para um sistema de energia solar em Sorocaba, funciona assim:

Durante o dia, todo o excedente de energia é injetado pelo sistema na rede da CPFL.

À noite não há luz solar e, consequentemente, nem produção do sistema.

Então utiliza-se a energia da rede para alimentar todo o consumo do imóvel.

Da mesma forma acontece em dias nublados ou chuvosos.

Isto é, a energia da rede é utilizada para compensar a menor geração do sistema.

Então temos: energia injetada = créditos / energia consumida = débito.

A CPFL computa toda a energia que entra e sai através de um relógio bidirecional que instala no imóvel.

Os créditos são automaticamente utilizados para abater o débito.

Caso sobrem, continuam válidos para uso por até 5 anos.

É graças a esse sistema que você consegue economizar até 95% da conta de luz com um sistema de energia solar.

Veja abaixo dois casos reais da economia obtida com o uso dos sistemas fotovoltaicos:

 
 
Sistema residencial
 
 
 

Sistema comercial

Outras Formas de Gerar Energia Solar em Sorocaba

Mas você não precisa necessariamente instalar um sistema próprio ou onde mora para gerar seus créditos e economizar na conta de luz.

Em 2015, a Aneel promulgou a sua Resolução Normativa 687 na qual utilizou esse sistema de créditos para criar novas modalidades de geração distribuída.

Elas são válidas em todo o território nacional e dividem-se em:

Autoconsumo remoto

Como o nome já sugere, é a geração remota de energia, ou seja, em outro local que não aquele onde o consumidor reside.

É o caso, por exemplo, de quem mora em apartamento e não possui espaço físico para a instalação do sistema.

Nesse caso, o consumidor pode instalar o sistema em outra propriedade ou terreno e utilizar os créditos gerados para abater o consumo de onde mora.

Para isso, no entanto, as propriedades precisam estar em seu nome e serem atendidas pela mesma distribuidora.

Geração compartilhada

É a modalidade que permite a dois ou mais consumidores instalarem um sistema único e compartilharem os créditos gerados.

Essa união é feita através de consórcio ou cooperativa e engloba tanto pessoas físicas (CPF) quanto jurídicas (CNPJ).

Cada participante, então, utiliza a sua parte dos créditos para abater o consumo elétrico do seu imóvel.

A primeira regra dessa modalidade exige que o local de instalação do sistema seja diferente de onde residem os participantes.

Em segundo lugar, da mesma forma que no autoconsumo remoto, todas as propriedades precisam ser atendidas pela mesma distribuidora.

Empreendimento com múltiplas unidades consumidoras

Por fim, essa última modalidade criada é a que permite a geração de energia solar em condomínios, sejam de casas, prédios ou ambientes comerciais.

Nesse caso, os condôminos participantes dividem o custo para a instalação de um sistema central dentro do empreendimento.

Toda a energia do sistema é injetada na rede e os créditos gerados são compartilhados entre os participantes para abater os seus respectivos consumos.

Além disso, é possível também utilizar os créditos para abater o consumo da energia de áreas comuns do condomínio.

Kit de energia solar

Todo sistema fotovoltaico utiliza um conjunto básico de equipamentos ao qual chamamos de kit de energia solar.

São eles:

Painel Solar Fotovoltaico

É o conjunto de placas solares, tecnicamente chamados de módulos fotovoltaicos, instalado sobre o telhado.

Cada placa possui uma potência pico de geração que, sozinha, não é capaz de atender um imóvel.

Assim, para cada projeto é preciso calcular a quantidade exata de placas que será necessária para atender o consumo elétrico.

Saiba agora mesmo quantas placas você precisa para o seu imóvel clicando aqui 👇

quantos paineis preciso?

Inversor Fotovoltaico Interativo

O inversor é considerado o “cérebro” de um sistema fotovoltaico.

Sua principal função, como já mencionado, é adaptar a energia das placas para que ela consiga alimentar o imóvel e seus equipamentos.

Ou seja, sem ele seria impossível aproveitarmos a energia gerada pelas placas.

Além disso, é papel do inversor injetar a energia excedente na rede elétrica.

Por fim, o inversor solar também funciona como um sistema de segurança, desligando a ligação com a rede em caso de queda de energia.

energia solar sorocaba _ inversor solar
Um inversor solar

Caixa de Junção / String box

É o conjunto de componentes para proteção dos módulos contra surtos de redes e demais danos elétricos.

Também comporta a chave de secção do sistema (liga/desliga) para momentos de reparo.

Estruturas de suporte e ancoragem

São os trilhos metálicos e demais peças para fixação dos módulos.

A escolha dessa estrutura é feita de acordo com cada projeto.

Caso não seja possível a instalação do painel sobre o telhado, utiliza-se uma estrutura para montagem das placas diretamente sobre o solo.

Cabeamento

Todo o conjunto de cabos e conectores para fazer a ligação elétrica entre os equipamentos do kit fotovoltaico.

Vantagens da Energia Solar 

Um sistema de energia solar em Sorocaba pode trazer a você inúmeros benefícios.

Conheça 4 dos principais deles abaixo:

#1 Valorização do imóvel

Uma grande vantagem para quem instala energia solar residencial é a valorização que ela agrega ao imóvel.

Isso foi comprovado em um estudo conduzido no mercado imobiliário da Califórnia, em 2017.

O resultado mostrou que os consumidores estão dispostos a pagar até US$15 mil a mais por uma casa com painel solar residencial.

Segundo eles, a vantagem em possuir uma casa que gera a própria energia limpa e, claro, a economia na conta de luz compensam o valor mais alto.

Então, caso você decida alugar ou vender a sua casa após a instalação do sistema, terá mais essa vantagem.

#2 Imunidade Contra a Inflação Energética

Os consumidores brasileiros já estão cansados de saber que todo ano tem nova inflação na conta de luz

No caso dos consumidores paulistas, a mais recente delas veio a partir de 1º de julho de 2020.

Foi quando entrou em vigor os mais novos reajustes das tarifas da Enel São Paulo (antiga Eletropaulo) e CPFL Paulista, distribuidoras que atendem o estado.

Além disso, no mesmo ano houve a crise do setor elétrico devido aos impactos da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

O resultado, como sabemos, serão os próximos 5 anos com aumento da conta de luz para todos os brasileiros.

Isto é, exceto para quem instala energia solar.

Com um sistema fotovoltaico, você pode gerar toda a energia que consome e, assim, ficar livre da energia da distribuidora, tanto do seu preço como dos aumentos.

Inclusive com as bandeiras tarifárias, que também não impactam mais a sua conta de luz.

Mais um mês de bandeira vermelha? Pouco importa para quem gera a própria energia diretamente do seu telhado.

Esse é o poder libertador que a energia solar entrega a você.

#3 Rápido Retorno do Investimento

Instalar um sistema de energia solar é um investimento.

E o prazo de retorno do investimento em energia solar, ou payback, é muito atrativo no Brasil.

De acordo com os dados do último estudo anual da empresa de energia COMERC, podemos calcular a média do payback de energia solar no país.

Enquanto sistemas residenciais se pagam em torno de 3,5 anos, geradores comerciais levam cerca de 5,8 anos para atingir o payback.

Ou seja, considerando a sua vida útil mínima de 25 anos, um painel solar pode trazer, no mínimo, 19 anos de energia grátis.

#4 Redução na conta de luz

E, claro, esse retorno do investimento só é possível graças à maior vantagem da tecnologia: a economia na conta de luz.

Um sistema fotovoltaico pode ser projetado para gerar toda a energia consumida em uma casa, empresa, propriedade rural, etc.

Assim, o sistema consegue produzir durante o dia toda a energia consumida naquele período e mais uma quantidade excedente.

Essa “sobra” de energia é enviada para a rede elétrica da distribuidora, que a contabiliza como créditos energéticos para você.

Durante a noite o sistema não produz, então você continua consumindo a energia da rede.

Ao final de cada mês, a energia excedente (créditos) é automaticamente utilizada pela distribuidora para abater o consumo da rede (débito).

Os créditos gerados abatem todo o consumo da rede e podem ainda sobrar, continuando válidos por até 5 anos nesse caso.

Ou seja, toda a energia que você precisa na sua casa ou empresa passa a ser atendida pelo seu sistema, o que reduz sua conta mensal em até 95%.

Por que a sua conta de luz não “zera”?

Porque você continua pagando pela taxa mínima de luz, utilizada pela distribuidora para custeio dos serviços de manutenção da sua rede elétrica.

Como Instalar Energia Solar em Sorocaba – Passo a Passo

Desde a pandemia do coronavírus, empresas como a Blue Sol atualizaram seu modelo de negócio para oferecer uma experiência de compra segura.

Através da digitalização de seus processos, a aquisição do sistema é feita de forma quase que totalmente digital e seguindo um rigoroso protocolo de higiene e segurança. 

Confira abaixo o caminho para você ter o seu gerador de energia solar em Sorocaba:

Passo 1: Orçamento

O primeiro passo para ter o seu sistema é solicitar um orçamento junto à empresa de energia solar, o que você pode fazer agora e de forma on-line clicando aqui 👇

Com base no seu consumo elétrico e características do seu imóvel, a equipe técnica especializada irá calcular o projeto ideal que você precisa.

O orçamento apresenta todas as informações do seu projeto, como:

  • Marca e modelo dos equipamentos;
  • Estimativas de produção e retorno do sistema;
  • Valor final.

Passo 2: Projeto

Depois de fechar o orçamento com a empresa, o próximo passo é a realização do seu projeto.

Para isso, a equipe técnica da empresa irá até o local realizar a visita técnica.

O objetivo é coletar as informações necessárias para o dimensionamento e instalação do sistema.

Alguns dos pontos analisados são o espaço disponível e as condições do telhado para recebimento do painel solar.

Isso é feito com o uso de drones, evitando que técnicos precisem subir no telhado.

Para a escolha do local de instalação do inversor fotovoltaico, que leva poucos minutos em um local com pouquíssima circulação, existe um protocolo de segurança estipulado, não havendo necessidade de contato físico com o cliente durante esse processo.

Com essas informações, os engenheiros da empresa realizam o projeto do seu sistema que será entregue à distribuidora.

Passo 3: Instalação 

A instalação do sistema é a etapa mais rápida de todo o processo e acontece quase que totalmente na parte externa.

É possível realizar todo o processo em até 2 dias com uma equipe de 3 instaladores.

Tudo depende do porte e da complexidade do imóvel.

Todos os equipamentos do sistema são instalados, conectados e testados, seguindo um protocolo de higiene e segurança.

O acabamento dado na instalação é um quesito que distingue uma boa empresa nessa hora.

Especialmente no inversor, que deve ficar visível e ao alcance do proprietário para acompanhamento da geração do seu sistema.

Passo 4: Conexão

Por fim, o último passo para começar a sua economia com energia solar é a conexão do seu sistema à rede elétrica.

A própria equipe da distribuidora é a responsável por essa etapa.

Para isso, ela vai até o local realizar a vistoria da instalação. 

Cabe aos técnicos averiguarem se as condições estão de acordo com o projeto apresentado pela empresa de energia solar.

Com tudo em ordem, a equipe então realiza a troca do relógio medidor pelo modelo bidirecional.

Esse relógio permite medir tanto a energia que vem da rede quanto a energia injetada pelo sistema fotovoltaico.

Depois de realizar os últimos testes, a equipe irá conectar o seu sistema à rede elétrica e pronto!

Agora você está gerando energia solar em Sorocaba e economizando na sua conta de luz.