Como Gerar Energia Solar no Espírito Santo e Acabar Com as Altas Contas de Luz

Como Gerar Energia Solar no Espírito Santo e Acabar Com as Altas Contas de Luz
1 (20%) 1 vote[s]

Energia solar no Espírito Santo: conheça agora o preço do seu sistema e veja quanta economia você pode obter com um gerador solar em sua casa ou empresa. Descubra como funciona essa tecnologia já utilizada por mais de 2.500 moradores e conheça os incentivos para a energia solar no estado.

Quer economizar até 95% na sua conta de luz com a energia solar no Espírito Santo?

Este artigo irá lhe explicar como.

E também tudo o que você precisa saber sobre energia solar para casas e empresas. Confira:

Energia Solar: Como Funciona?

A geração de energia solar para casas e empresas é feita através dos chamados sistemas fotovoltaicos.

Esses sistemas geram energia elétrica através da conversão direta da luz do sol.

Para isso, eles utilizam um conjunto de equipamentos, chamado de kit solar, composto de:

  • Painel Solar: conjunto de placas que geram a energia pela conversão da luz do sol.
  • Inversor interativo: equipamento que adapta a energia gerada pelas placas para ser utilizada na casa e que gerencia a energia do sistema com a energia da rede elétrica.
  • String-box: dispositivos de segurança do sistema contra surtos elétricos e chave de ligar/desligar;
  • Estrutura de suporte: estrutura metálica utilizada para fixar o painel sobre o telhado da casa;
  • Cabeamento: conjunto de conectores e cabos para conexão elétrica do sistema.

Veja abaixo a animação rápida que explica o funcionamento de um sistema fotovoltaico para casas:

Passo a Passo

Confira o passo a passo abaixo de como é gerada a energia elétrica em um sistema fotovoltaico:

  1. O funcionamento começa com as placas solares (ou módulos fotovoltaicos) que costumam ser instaladas sobre os telhados para a livre captação da luz do sol e sua conversão em energia elétrica;
  2. Essa energia é enviada ao inversor fotovoltaico, principal equipamento do sistema e o qual converte essa energia para as características de nossa rede elétrica;
  3. A energia convertida pelo inversor é distribuída pela casa ou empresa e alimenta qualquer equipamento elétrico ligado na tomada;
  4. Caso não haja consumo no momento em que a energia foi gerada, ela então passa pelo quadro de força e é injetada na rede elétrica da distribuidora.
  5. A rede elétrica, assim, funciona como uma bateria, recebendo a energia do imóvel e provendo para esse nos momentos em que o sistema não está gerando energia, ou seja, à noite.

Toda energia enviada para a rede elétrica é “emprestada” para a distribuidora, gerando créditos energéticos para você.

À noite, ou em momentos de pouca luminosidade, a energia da rede elétrica é usada para compensar, total ou parcialmente, a produção do sistema.

Ao final de cada mês, a distribuidora calcula a energia que foi injetada na rede (crédito) e aquela que foi consumida (débito).

Como os sistemas são dimensionados para produzir toda a quantidade de energia que você consome em sua casa ou empresa, seu saldo de créditos sempre será suficiente para suprir a energia que você consumiu da rede.

Energia Solar no ES: Quanto Custa?

A resposta para essa pergunta é: depende.

Cada sistema é projetado para atender o consumo elétrico de determinada casa ou empresa.

Assim, quanto maior o consumo, maior o sistema e seu custo, e vice versa.

Mas, eu tenho uma solução para ajudar você a ter uma ideia bem próxima do custo do seu sistema.

Uma calculadora solar.

Através dela você poderá conhecer o tamanho e custo do sistema ideal para a sua casa ou empresa.

Basta informar a média do seu consumo de energia e a sua região para que, em menos de 3 segundos, você conheça o resultado.

Confira através do botão abaixo:

energia solar es _ botão simulador

Formas de Gerar Energia Solar

A instalação e funcionamento de um sistema de energia solar é feito dentro das regras do segmento de geração distribuída, criadas e reguladas pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica).

Inicialmente, quando foram criadas em 2012 através da Resolução Normativa 482, as regras previam o uso dos créditos somente no imóvel onde eles foram gerados ou em outro de mesma propriedade do titular.

Entretanto, em 2015, a ANEEL revisou as regras do segmento e criou três novas modalidades de geração que permitiram a mais consumidores utilizarem os sistemas fotovoltaicos. São elas:

Autoconsumo Remoto

Nessa modalidade, o consumidor (pessoa física ou jurídica) sem espaço para a instalação de um sistema no local onde reside/trabalha, mas que tenha outro imóvel ou terreno em sua titularidade, poderá lá instalar o sistema e utilizar os créditos gerados para abater do consumo onde reside, devendo ambos os locais serem atendidos pela mesma distribuidora.

Geração Compartilhada

Aqui consumidores (CPF ou CNPJ) podem se unir através de cooperativa ou consórcio para a instalação de um sistema central, que deverá ser instalado em local diferente dos imóveis que receberão os créditos, porém todos devendo estar dentro da área de concessão da mesma distribuidora.

Os créditos gerados por esse sistema serão então compartilhados entre os integrantes do consórcio, obedecendo as porcentagens pré-estabelecidas entre eles.

Geração Em Múltiplas Unidades Consumidoras

Esta modalidade foi criada para atender moradores de condomínios residenciais ou comerciais, que geralmente não dispõem de espaço para a instalação de um sistema próprio.

Nesta modalidade, os condôminos se unem para a instalação de um sistema central, a ser instalado em área comum do prédio e que irá gerar créditos para serem compartilhados entre os integrantes, assim como também para atender o consumo de áreas comuns.

Cenário da Geração Distribuída no ES

O Espírito Santo ocupa, hoje, a 11ª posição no cenário da energia solar no Brasil.

São 2.554 consumidores participantes do segmento de geração distribuída no estado, sendo que 100% deles o fazem através dos sistemas fotovoltaicos.

energia solar es _ sistema residencial
Um painel solar residencial.

As cidades com maior número de sistemas instalados são: Colatina, com 418, Serra, com 333 e a capital Vitória, com 231.

A grande maioria dos sistemas são residenciais (1.918), seguidos pelos comerciais (383), rurais (127) e industriais (101).

Sistemas em prédios do poder público e serviços público preenchem o restante, com 25 conexões.

Retorno da Energia Solar no ES

A aquisição de um sistema fotovoltaico é um investimento.

Isso porque ele traz um retorno financeiro através da economia gerada na conta de luz.

Assim, podemos calcular o retorno do investimento em energia solar, chamado também de payback.

Segundo o último estudo de payback realizado pela empresa de energia Comerc, o Espírito Santo possui o 13º melhor payback do Brasil.

Um sistema de energia solar residencial instalado na capital de Vitória possui um payback médio de 3,41 anos.

Já um sistema comercial apresenta retorno médio de 4,81 anos.

Em ambos os casos, os prazos são muito inferiores ao tempo de vida útil do sistema, que é mais de 25 anos.

Ou seja, você pode obter, no mínimo, 20 anos de energia grátis com um sistema de energia solar no Espírito Santo.

Incentivos Para a Geração de Energia Solar no ES

Além da vantagem da economia gerada na conta de luz, existem também outros incentivos para quem instala um sistema de energia solar.

Um deles é a isenção de ICMS sobre energia solar, válida no Espírito Santo desde janeiro de 2018.

Foi nessa época que o estado aderiu ao convênio ICMS 16 do Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária).

Ou seja, toda a energia que o seu sistema injetada na rede e que volta pra você na forma de créditos, é isenta dessa cobrança.

Além do ICMS, essa energia também é isenta do PIS e COFINS, segundo a Lei n° 13.169 do Governo Federal.


O que achou desse artigo?  Deixe seu comentário com perguntas ou sugestões que logo te respondemos!