O Avanço da Energia Solar no Nordeste do Brasil

O avanço da Energia Solar no Nordeste do Brasil
O Avanço da Energia Solar no Nordeste do Brasil
3.6 (72.73%) 11 vote[s]

A região, uma das com maior incidência de radiação solar no país, vem ganhando vários projetos que irão impulsionar o uso da energia solar no Nordeste do Brasil.

Quando se trata do uso de fontes de energia alternativas, o Nordeste brasileiro ocupa posição de destaque.

Beneficiado por temporadas de ventos fortes, atualmente a região já é o maior polo de produção de energia eólica do país, que hoje ocupa o 5º lugar no ranking mundial.

Agora, no entanto, a região começa a receber inúmeros projetos que visam a captação de outra fonte de energia renovável abundante nesta parte do país, a luz do sol.

Como prova do potencial da energia solar no Nordeste brasileiro, a região recebe uma incidência média diária que varia de 4,5 a 6 kWh (quilowatt-hora).

Em 2016, o Banco do Nordeste (BND) deu um passo inicial muito importante para essa disseminação no uso da energia solar na região, quando lançou uma linha de financiamento exclusiva para a implantação de projetos de micro e minigeração de energia, o FNE SOL.

O financiamento é destinado a empresas agroindustriais, industriais, comerciais e de prestação de serviços, além de produtores rurais, cooperativas e associações beneficiadas ou não com recursos do Fundo Constitucional, que queiram produzir sua própria energia através das fontes solar, eólica ou biomassa.

Além disso, todos os nove estados que compõem a região já fazem parte do convênio que isenta a isenção do ICMS sobre a geração de energia, o que tem ajudado para o aumento do número de residências e comércios que optam por sistemas de energia solar no Nordeste, visto o já citado potencial da fonte, aliado aos ganhos em sustentabilidade e economia que eles trazem.

 

Grandes usinas de Energia Solar no Nordeste

Com a grande abundância da fonte na região, nada mais lógico do que investir em grandes projetos para captar essa fonte limpa de energia.

E é exatamente isso o que já ocorre no Nordeste, que possui a maior capacidade instalada de usinas de energia solar em todo o Brasil.

Os projetos somam cerca de 1,2 Gigawatts (GW) de potência acumulada, ou seja, mais da metade dos 2,2 GW totais de projetos de geração solar centralizada instalados no país.

A Bahia, o Ceará e o Piauí são os três estados de maior destaque na geração de energia solar no Nordeste.

De acordo com Rodrigo Sauaia, CEO da ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), o alto índice de irradiação solar da região Nordeste a torna atrativa para o desenvolvimento de novos projetos solares fotovoltaicos de pequeno, médio e grande portes.

Com 930 mil placas fotovoltaicas e uma potência de 210 Megawatts (MW), a Usina Solar Nova Olinda é a maior do tipo em operação no Nordeste, instalada na cidade de Ribeira do Piauí – PI.

 

Grandes fábricas também investem na região

Visando atender justamente esse mercado de grandes projetos solares, diversas fábricas de equipamentos fotovoltaicos agora começam a se estabelecer na região, o que trará não somente mais energia solar no Nordeste, mas também geração de empregos e renda à sua população.

Uma delas, a Pure Energy, foi inaugurada em 2017 no estado de Alagoas e produziu o primeiro painel fotovoltaico do Nordeste.

Localizada no polo industrial de Marechal Deodoro, a empresa inicia suas operações entrando em um mercado dominado pelos chineses.

O Brasil é o país que possui a maior captação de energia solar do mundo e só agora essa energia está começando a ser explorada. Na Europa, esse tipo de produção é utilizada há anos e, com isso, Alagoas está colocando o Brasil em um novo patamar de produção de energias limpas”, afirmou o diretor da empresa, Gelson Cerutti.

O parque industrial da Pure Energy tem capacidade de produção de 30 placas por hora, cada qual com potência de geração de 265 a 315 w (watts), podendo ser utilizados desde em pequenas instalações residenciais até grandes projetos industriais. 

O processo de fabricação dos módulos fotovoltaicos, que dura poucos minutos, inicia com a montagem das células solares, seu componente principal e responsável pela conversão da luz do sol em energia elétrica.

“O processo inicial é totalmente mecânico com apenas a participação de um operador. Esta etapa é o ‘coração’ de todo o processo de produção”, explicou Joel Ferrari, gerente industrial da Pure Energy.

Após esta etapa, as células fotovoltaicas são postas na base da placa, onde seguem para o processo de solda, montagem, teste e finalização. Em poucos minutos, um painel fotovoltaico está pronto para ser comercializado.

Além desse empreendimento em Alagoas, o estado do Piauí também pode ganhar, em breve, uma fábrica de placas solares, graças as negociações feitas pela agenda internacional do governo do estado na Europa.

Caso negociado, o investimento será instalado dentro do Projeto Vale do Silício do Piauí, no município de Teresina.

Fontes de Informação: Gazeta Web – Fonte O Povo – Fonte Revista Nordeste – Fonte