Com Investimentos Chineses, Energia Solar Irá Trazer Desenvolvimento e Geração de Empregos no Mato Grosso Pelos Próximos Anos

Com Investimentos Chineses, Energia Solar Irá Trazer Desenvolvimento e Geração de Empregos no Mato Grosso Pelos Próximos Anos
5 (100%) 1 vote

Localizado na região centro-oeste do Brasil, o estado do Mato Grosso possui grande disponibilidade da fonte solar que, segundo acordos recentes com o governo estadual, está prestes a ser explorado por meio de investimentos estrangeiros.

Ao todo, serão cerca de 5 bilhões de reais que serão aplicados no estado por empresas chinesas para a construção de usinas elétricas movidas por fontes renováveis, com destaque para a solar e biomassa, e em menor proporção a eólica.

Uma dessas empresas é a estatal Powerchina, que por meio da sua consorciada Sepco1 Construções do Brasil Ltda, já está em processo de estudo para a construção da primeira usina solar, na qual espera investir cerca de R$1 bilhão.

A empresa, que possui sede no município de Vera, a 460 km ao norte da capital de Cuiabá, também constrói uma linha de transmissão ligando os municípios de Cláudia e Paranatinga, além executar outros empreendimentos similares no Brasil.

De acordo com Bernardo Nien, coordenador administrativo da Sepco1, a empresa focará primeiro na fonte solar por possuir “maior facilidade para instalação e captação favorecida pelo relevo de Mato Grosso”, mas que estuda investir também em parques eólicos.

Outro projeto solar em construção no estado é o Condomínio Sun Garden, de propriedade da também chinesa CED Prometheus, que assinou em fevereiro, em conjunto com o governador Pedro Tasques, o protocolo de intenções para investimento de U$300 milhões no projeto.

Localizado na Chapada dos Guimarães, região do Manso, a estação solar terá capacidade de produção de 300 megawatts-hora, que serão ofertados a indústrias e empresas com preços 20% a 30% mais baratos e deverá gerar cerca de 300 empregos diretos e indiretos em sua construção.

Já os investimentos em biomassa estão vindo através da empresa FS Bioenergia, que aplicou R$350 milhões na expansão da sua unidade no município de Lucas do Rio Verde, que irá duplicar a capacidade atual de processamento da matéria-prima, o milho.  

Além disso, a empresa anunciou a construção de uma nova unidade na cidade de Sorriso, na qual deverá investir R$1 bilhão e gerar cerca de 1.500 novos empregos diretos e indiretos.

Ao todo, esses novos investimentos deverão gerar mais de 2 mil novos empregos, segundo estimativa do governo, e ajudarão para tornar a matriz energética do estado, que possui participação de quase 95% de renováveis, ainda mais limpa. 

Fonte de informação: PV Magazine – Site

Recomendamos para Você:

Analista de Marketing
Redator e Tradutor