Preços da Energia Solar no Brasil Continuam Caindo, Diz Relatório de Empresa de Pesquisa de Mercado

Preços da Energia Solar no Brasil Continuam Caindo, Diz Relatório de Empresa de Pesquisa de Mercado
3.7 (73.33%) 3 votes

Segundo o resultado de um estudo sobre o mercado de geração de energia distribuída no Brasil, específico da tecnologia solar fotovoltaica, os seus preços têm caído muito rapidamente no país, apresentando uma depreciação de 24% no ano passado.

O relatório foi elaborado pela empresa brasileira de consultoria e pesquisa de mercado, Greener, e é intitulado “Estudo Estratégico | Mercado Fotovoltaico de Geração Distribuída – 1º Semestre/2018”.

Segundo o estudo, os preços dos sistemas fotovoltaicos de micro e minigeração, ou seja, com potência de até 5 megawatts (MW), apresentaram uma redução de 24% em 2017.

Como exemplo, a empresa informa no relatório que o preço médio de um sistema de 8 quilowatts (kW) caiu 26%, passando de R$ 7,08 pelo Watt-pico (Wp) em janeiro de 2017, para R$ 5,21 / Wp em janeiro deste ano.

Outro ponto de destaque foi a queda nos preços dos serviços de mão de obra para integração do sistema, que caiu 36% em comparação a janeiro do ano passado para este ano.

Para um sistema de 50 kW, a redução foi de 25%, passando de R$ 5,88 / Wp, para R $ 4,39 / Wp, enquanto que para uma instalação de 300 kW, a queda foi de 23%, de R$ 5,31 / Wp para R$ 4,07 / Wp.

Outro número computado pelo relatório foi o faturamento total do mercado de geração distribuída em 2017, englobando os segmentos residencial, comercial e industrial, que alcançou a marca de R$ 1,47 bilhão (US $ 462 milhões).

Para a coleta dos dados, foram entrevistadas 552 empresas do mercado, no período entre 29 de novembro de 2017 e 2 de janeiro de 2018, com um aproveitamento de resposta de 51,27%.

O relatório indica que, entre 2012 a 2017, a capacidade total acumulada em equipamentos fotovoltaicos importados foi de 530 MWp, resultado do aumento de 96,31% no volume de negócios médio das empresas do mercado.

Em relação a essas, o estudo registrou um número de 2.741 empresas atuantes no Brasil, sendo uma para cada dois municípios.

Com uma taxa de conversão de vendas média de 6,56%, essas empresas alcançaram um volume de negócios de 297 MWp em 2017.

Embora 40% dos instaladores de sistemas tenham alegado insatisfação em relação ao setor, esse indicador melhorou em relação a maio de 2017, quando era de 50%, sendo que 67,9% deles admitiram estar otimistas em relação ao mercado e seus negócios em 2018.

Os maiores entraves do setor, segundo estes profissionais, ainda são a pressão sobre os preços (39,3%), a falta de opções de financiamento (25%), publicidade enganosa (15,5%) e produtos de baixa qualidade (14,8%). 

Texto original (em inglês): PV Magazine – Site

 

Recomendamos para Você:

Analista de Marketing
Redator e Tradutor