Sistema de Geração de Energia Solar: Veja os Tipos e Saiba o Preço

Você está considerando investir em um sistema de geração de energia solar?

Então fique atento, pois existem diferentes tipos, cada um com suas vantagens e desvantagens.

Neste artigo você irá conhecer essas e demais informações sobre cada um deles.

Agora, se você já quiser conferir o valor estimado do projeto ideal para o seu imóvel, então basta clicar no botão abaixo e acessar o nosso simulador on-line gratuito:

O que é um sistema de geração de energia solar?

Um sistema de geração de energia solar nada mais é do que um gerador elétrico movido a luz do sol.

Tecnicamente, eles são conhecidos como sistemas de energia solar fotovoltaica ou apenas sistemas fotovoltaicos.

Utilizando o conjunto de equipamentos do kit de energia solar, eles transformam a luz do sol diretamente em energia elétrica que pode alimentar qualquer tipo de imóvel.

Um dos principais equipamentos do sistema é a placa solar ou placa fotovoltaica (tecnicamente conhecida como módulo).

Cada placa contém uma quantidade de células solares, responsáveis por transformar a luz em energia através do chamado efeito fotovoltaico.

Gosta de tecnologia e quer conhecer como isso acontece? Veja o artigo Célula Solar Fotovoltaica: O que É e Como Funciona?

Além das placas, existe outro importante equipamento que faz parte de todo sistema fotovoltaico: o inversor solar.

Ele é responsável por adaptar a energia gerada pelas placas ao padrão utilizado pela nossa rede elétrica e equipamentos eletrônicos.

Diferentemente das placas, que são as mesmas em qualquer sistema, o modelo do inversor deve ser escolhido de acordo com o tipo da instalação.

Saiba todas as informações no artigo completo Inversor Solar: Informações Essenciais Para Quem Vai Instalar

O kit do sistema de geração de energia solar

Além das placas solares e inversor, existem ainda outros importantes equipamentos dos sistemas fotovoltaicos.

Veja abaixo quais são eles:

String-box: é o aparelho que reúne os dispositivos de segurança e proteção do sistema contra surtos e quedas, além do botão liga/desliga do painel.

Estrutura de suporte: estrutura metálica utilizada para fixar o painel sobre o telhado da casa ou diretamente sobre o solo.

Cabeamento: conjunto de conectores e cabos para conexão elétrica do sistema.

Controlador de carga: utilizada somente nos sistemas off grid, é o aparelho que gerencia a carga das baterias, seu uso e reposição.

Baterias: de diferentes tipos, elas armazenam a energia gerada pelo painel e invertida pelo inversor.

Tipos de sistemas de geração de energia solar

Todo sistema fotovoltaico gera energia a partir da luz do sol.

Mas e durante a noite, ou em dias nublados e chuvosos? 

É justamente na forma como lidam com essa intermitência da luz do sol que os sistemas de geração de energia solar se diferem em 3 tipos.

Saiba mais sobre eles abaixo:

 

Sistema fotovoltaico off grid ou isolado

São os geradores instalados em áreas remotas e sem acesso à rede de distribuição.

Nos sistemas isolados da rede, a energia excedente gerada durante o dia deve ser armazenada para poder ser utilizada nos períodos noturnos.

Isso é feito através de um banco de baterias, que deve ser muito bem calculado para que o imóvel não fique sem energia durante à noite.

Vantagens:

A principal (e única) vantagem dos sistemas Off Grid é que eles permitem uma total independência da rede elétrica da distribuidora.

Ou seja, sem relógio medidor, sem contas de luz.

Desvantagens:

Por outro lado, sistemas isolados possuem custo de implantação muito mais alto do que as instalações On-Grid, exatamente por conta do alto custo do banco de baterias necessário.

Dessa forma, sua aplicação é recomendada somente para propriedades rurais sem acesso à rede elétrica, como uma alternativa aos geradores a diesel.

Ainda por cima, as baterias atualmente utilizadas no Brasil (chumbo-ácido) possuem vida útil bem inferior ao painel solar, além de exigirem frequentes manutenções.

 

Sistema fotovoltaico on-grid

On-grid em inglês significa na rede, ou seja, são os geradores ou sistemas fotovoltaicos conectados à rede elétrica.

Aqui, toda a energia excedente que você gerou durante o dia é injetada na rede da distribuidora e transformada em créditos energéticos para você.

Durante a noite, você continua utilizando normalmente a energia que vem da rede elétrica.

Ao final do mês, a distribuidora automaticamente utiliza os créditos gerados para abater o que você consumiu da rede.

Se você adquiriu um sistema para suprir todo o consumo elétrico do seu imóvel, então os créditos gerados serão suficientes para compensar toda a energia que você utilizou da rede.

Nesse caso, você só paga a taxa mínima de luz, podendo assim reduzir em até 95% o valor da sua conta de luz.

Você pode conhecer agora mesmo a sua economia com energia solar através do simulador online abaixo:

simulador solar blue sol

Outra vantagem de não pagar pela energia da rede é que você ainda fica imune à inflação energética e às bandeiras tarifárias.

Pelo contrário, quanto mais cara fica a energia da rede, maior é a vantagem que você tira do seu sistema.

Veja a razão disso no artigo completo O Retorno do Investimento em Energia Solar

Vantagens:

Por não utilizarem baterias, os sistemas on-grid possuem custo de instalação bem inferior ao dos sistemas isolados.

Além disso, exigem pouquíssima manutenção durante os mais de 25 anos de vida útil padrão do painel.

Desvantagens:

A principal desvantagem dos sistemas conectados é a sua dependência da rede elétrica pública.

Nesses sistemas, quando há queda da rede durante o dia, o inversor imediatamente se autodesliga para que não continue injetando energia na rede em que trabalham os técnicos da distribuidora.

Embora seja uma precaução necessária, isso resulta na interrupção momentânea do funcionamento do sistema.

 

Sistema fotovoltaico híbrido

Um sistema híbrido, então, é a combinação dos sistemas fotovoltaicos isolados e conectados à rede.

Quer dizer que ele funciona em conjunto com a rede elétrica ao mesmo tempo em que faz uso de uma bateria solar.

No entanto, o papel da bateria aqui não é armazenar toda a energia consumida à noite, mas sim funcionar como um sistema de backup.

Ou seja, em caso de queda da rede, a bateria entra em ação para suprir o imóvel até que a distribuidora tenha reparado os seus serviços.

Sistemas híbridos são a próxima grande onda da tecnologia fotovoltaica pela maior independência da rede que trazem ao consumidor.

Entretanto, uma revisão das regras atuais da geração distribuída ainda é necessária para que esse tipo de instalação se torne legal no Brasil. 

Vantagens:

Sistemas híbridos são mais baratos que sistemas isolados, pois não necessitam de muitas baterias.

Permite o uso da energia solar armazenada em horários de ponta, quando o custo da energia da distribuidora é mais caro.

Da mesma forma, a energia da bateria é utilizada em momentos de queda da rede, permitindo a autossuficiência do imóvel até que o serviço da rede seja restabelecido.

Desvantagens:

São mais caros que sistemas conectados à rede e possuem maior necessidade de manutenção por conta da bateria.

Como funciona um sistema de geração de energia solar?

A menos que você possua uma propriedade em região isolada, o sistema que você precisa é o conectado à rede.

Mais de 99% dos sistemas fotovoltaicos instalados no Brasil são desse tipo.

Com custos mais acessíveis e sua operação ancorada na regulamentação do setor, os sistemas On-Grid se tornaram a solução energética perfeita para os consumidores do país.

Conheça como eles funcionam na rápida animação abaixo:

Regulamentação e os créditos energéticos

São os créditos energéticos mencionados no vídeo que permitem a economia de até 95% na conta de luz.

Eles são fruto do chamado sistema de compensação de energia elétrica, criado pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) em sua Resolução Normativa Nº 482, de 2012.

A resolução foi o grande marco que deu início à geração distribuída no Brasil.

Pois permitiu aos consumidores gerar sua própria energia e realizar a troca dela com a energia da rede. 

Além disso, esses créditos permitiram novas modalidades de geração.

Elas foram implementadas pela Aneel em 2015, através de sua resolução Normativa 687.

Essas modalidades expandiram o público da energia solar, pois permitiram a consumidores gerarem sua energia mesmo não possuindo um telhado próprio.  

São elas:

  • Autoconsumo Remoto;
  • Geração Compartilhada;
  • Geração em Múltiplas Unidades Consumidoras.

Conheça mais sobre essas formas de gerar energia solar através do artigo completo: Geração de Energia Solar: 3 Modalidades 

Quanto custa um sistema de geração de energia solar?

Como são dimensionados para cada consumidor, os sistemas fotovoltaicos não seguem uma tabela de valores fixos.

O consumo elétrico e certas características do seu imóvel é que determinam quantos equipamentos você precisa e o nível de serviço exigido, impactando diretamente no custo final.

Assim, para descobrir o valor do seu sistema é necessário que você solicite o orçamento do seu projeto.

Com base nas informações que você preencher, a empresa irá dimensionar e precificar o seu sistema fotovoltaico completo, incluindo equipamentos e mão de obra.

Clique no botão abaixo para solicitar agora mesmo, de forma gratuita e 100% on-line, o orçamento do seu sistema de geração de energia solar 👇

O que achou?