Região Sudeste Concentra Maior Parte Das Empresas Brasileiras de Energia Solar Distribuída

Região Sudeste Concentra Maior Parte Das Empresas Brasileiras de Energia Solar Distribuída
4.3 (86.67%) 3 vote[s]

A maior parte, ou 46,3% das empresas de energia solar do Brasil estão localizadas na região Sudeste.

O dado consta no estudo estratégico do mercado fotovoltaico de geração distribuída do 2º trimestre de 2019, da empresa de pesquisa Greener.

O volume de empresas acompanha o número de instalações, também concentradas em maior quantidade entre os quatro estados da região.

De acordo com os dados da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), o Sudeste possui hoje 48.136 sistemas conectados à rede, equivalente a aproximados 47,3% de todos os geradores do país.

Minas Gerais possui a maior quantidade de sistemas (22.143), tendo destacado-se no cenário nacional por ser um dos primeiros estados com isenção de ICMS sobre a energia solar.

Minas possui cerca de 398 empresas, de acordo com o mapa de empresas do portal América do Sol.

Em segundo lugar está São Paulo, com 17.631 sistemas conectados e 557 empresas.

A energia solar no estado paulista tem crescido forte, tanto na geração pelos próprios consumidores como na geração centralizada por meio de fazendas solares.

Exemplo disso foram as duas usinas solares inauguradas no último dia 15 de agosto pelo governador João Doria, uma na cidade de Guaimbê e outra na de Ouroeste.

Juntos, os dois projetos somam 300 megawatts (MW) de energia, gerados por mais de 550.000 placas fotovoltaicas distribuídas por 280 hectares.

O ensolarado estado do Rio de Janeiro vem em terceiro lugar, com 5.950 sistemas conectados e 248 empresas.

Uma prova das vantagens da energia solar no Estado pôde ser comprovada no último dia 8 de agosto.

Quando a emissora Globo inaugurou seus novos estúdios equipados com 2.000 módulos solares.

A minisusina solar será capaz de produzir até 1.055 megawatt-hora (MWh) de energia por ano e evitará a emissão de aproximadas 2 mil toneladas de CO2 durante os 25 anos de vida útil das placas.

Espírito Santo é o estado com menos sistemas da região, 2.412, e atendido por apenas 70 empresas.

Essa diferença relaciona-se mais com os incentivos do estado do que com a viabilidade local da tecnologia.

Segundo o índice Comerc Solar, um sistema instalado na capital de Vitória se paga, em média, 3,41 anos.

No geral, o Brasil possui hoje mais de 101 mil sistemas conectados em todas as regiões, devendo atingir mais de 886 mil geradores até 2024, segundo as projeções da ANEEL.