Energia Solar Ganha Mega Projeto no Piauí Com Início das Obras da Maior Usina Solar da América do Sul

Energia Solar Ganha Mega Projeto no Piauí Com Início das Obras da Maior Usina Solar da América do Sul
5 (100%) 1 vote

Nos últimos anos, as novas tecnologias de geração elétrica por fontes de energia renováveis (leia-se solar fotovoltaica e eólica) estão transformando o Nordeste brasileiro em um novo polo de geração elétrica limpa do país.

O número de projetos de usinas solares e eólicas em operação e/ou construção na região é grande, todos atraídos pelo alto potencial de geração do sol e ventos nordestinos.

No dia 30 do último mês de agosto, por exemplo, a região registou uma geração-pico de 675 megawatts (MW) através das placas fotovoltaicas de suas usinas solares, um novo recorde para essa tecnologia em expansão no país. Já a energia eólica bateu, nesse mesmo dia, o recorde de geração média diária ao produzir 7.137 MW médios. 

Devido ao bom desempenho dessas tecnologias, o Nordeste tem sido exportador de energia para o Sudeste/Centro-Oeste. No dia 29 desse mesmo mês, a exportação de energia atingiu 2.055 MW médios, segundo o Operador Nacional do Sistema (ONS).

A maioria dos projetos lá instalados são resultado dos leilões de contratação de energia do governo, com parte ou totalidade de suas capacidades comercializadas para as distribuidoras através de contratos de fornecimento com prazos definidos.

Será esse o destino da maior parte dos 475 MW a serem gerados pelo parque solar São Gonçalo, que teve suas obras iniciadas este mês na cidade de São Gonçalo do Gurguéia, no Estado do Piauí, sendo a maior usina solar em construção da América do Sul.

A mega usina, de propriedade da Enel Green Power Brasil Participações Ltda, terá mais de 80% da sua capacidade (ou 388 MW) comercializada para distribuidoras do mercado regulado, conforme direito conquistado pelo Grupo Italiano Enel no leilão de energia A-4, em dezembro de 2017, 

O prazo de fornecimento da usina, apoiado por contrato firmado, é de 20 anos. Os 87 MW restantes vão gerar energia para ser comercializada no mercado livre.

Cerca de R$1,4 bilhão serão investidos no projeto, que irá expandir a capacidade instalada de fontes de energia renováveis do país, gerando 1.200 gigawatts-hora por ano de energia e evitando a emissão de mais de 600 mil toneladas de CO2 na atmosfera. 

Recomendamos para Você:

Analista de Marketing
Redator e Tradutor